Ídolo do Mogi, Gustavo Lima aproveita o JUBs para jogar e se divertir

Sem clube depois que saiu do Basquete Cearense, armador volta a estudar e a participar dos jogos depois de quase dez anos

Relacionadas

Nas partidas de basquete dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), um baixinho abusado se destaca em meio aos grandalhões: Gustavo Lima, armador da equipe da Unip. Antes de comandar o time de basquete universitário, o número 4 vestiu a camisa do Mogi das Cruzes, onde jogou de 2011 a 2015, garantiu o acesso para o NBB, disputou duas semifinais do torneio nacional, foi vice-campeão da Liga Sul-Americana e virou ídolo.

Sem clube depois que saiu do Basquete Cearense, Gustavinho aproveita o momento para voltar a estudar e levar um pouco da sua experiência aos novatos dos jogos realizados em Goiânia.

“Quero me formar e futuramente ser técnico. Está sendo legal voltar a jogar o JUBs novamente depois de tanto tempo”, disse o atleta de 32 anos, que disputou os jogos pela primeira vez em 2008. “Todos os jogadores do meu time tem menos de 23 anos, eu me divirto com eles e passo um pouco da minhas experiência. Dá uma rejuvenescida estar aqui”, completou, Gustavinho que está no terceiro ano do curso de Educação Física.

Pequeno gigante

Gustavo Lima mede 1,78m, algo que lhe rendeu brincadeiras dos amigos que os chamavam por nomes nada carinhosos, como "anão", "pintor de rodapé", "salva-vidas de aquário". O armador disse que sempre levou na brincadeira e que a baixa estatura o forçou a criar um estilo diferente de jogar. "Eu tive de me adaptar, compensar minha altura com velocidade e pensando mais, sendo o cérebro do time”, disse o jogador que tem como ídolos, os armadores da NBA Tony Parker, Steve Nash e Jason Kidd.

+Armadora de 1,46m enfrenta campeãs dos Jogos Universitários Brasileiros

O cérebro da equipe da Unip conduziu o time até as semifinais disputadas nesta sexta-feira, 27. Abriu o placar da partida, logo no primeiro ataque. O baixinho infernizou a defesa da Unifacisa, acertou várias bolas de três, deu passes e dribles desconcertantes, mas não foi suficiente para segurar o forte time da Paraíba, que venceu por 75 a 71 e garantiu vaga nas finais, depois de conquistar o acesso a primeira divisão no ano passado. 

 

MAIS SOBRE:

JUBs NBB [Novo Basquete Brasil] Gustavo Lima Unip basquete
Comentários