A promessa da seleção alemã que morreu a serviço do Estado Islâmico

Karan vestiu também as camisas do Bayer Leverkusen, Hertha Berlin, Hamburgo e Hannover

Relacionadas

Burak Karan chegou a ser considerado um dos jogadores mais promissores do futebol alemão. Fruto da mesma geração de Khedira e Boateng, com os quais chegou a atuar, a vida do atleta teve um desfeixo inusitado e terminou muito longe das quatro linhas: em Azaz, cidade na fronteira da Síria com a Turquia.

Neymar tatua taça da Champions que conquistou pelo Barcelona

Anderson Silva se solta e rebola ao som de Pabllo Vittar; assista

Sergio Ramos aposta em look ousado e volta a virar meme; confira

Há cinco anos atrás o volante e zagueiro morreu durante um ataque aéreo, enquanto militava pelo Estado Islâmico. O ex-jogador da seleção alemã estava envolvido com grupos terroristas desde 2008. Karan vestiu também as camisas do Bayer Leverkusen, Hertha Berlin, Hamburgo e Hannover.

“Burak me disse que dinheiro e sua carreira não eram coisas importantes. Ele se transformou e começou a assistir a muitos vídeos na internet sobre zonas de guerra. Burak considerava muito injusta a forma como as pessoas que vivem nesses lugares morriam. Um dia, deixou para trás e foi embora”, relatou Mustafá, irmão do ex-jogador, ao jornal alemão "Bild". 

A última imagem do alemão surgiu no YouTube poucos dias após a sua morte, em outubro de 2013. No vídeo, Karan aparecia usando um turbante na cabeça e segurava um fuzil. 

MAIS SOBRE:

futebol Estado Islâmico Síria [Ásia] terrorismo
Comentários