Após fala polêmica sobre 'férias' na China, Tévez diz que quer voltar à seleção

Atacante avaliou que vida do treinador da equipe nacional, Jorge Sampaoli, 'não vai ser fácil' para montar o time que vai à Rússia

Após passar um período no futebol chinês que ele mesmo classificou de "férias" de sete meses, o atacante argentino Carlos Tévez reestreou no Boca Juniors e neste fim de semana esteve em campo, na vitória por 2 a 0 sobre o Colón, pelo Campeonato Argentino. Ele comemorou o que disse ser uma "sensação de estar vivo"

Tévez, há muito tempo fora da seleção argentina, afirmou, após a partida, que quer ir à Copa do Mundo defender as cores da Argentina. "O Mundial é meu objetivo", afirmou o jogador ao deixar o campo. Ele não marcou gols.

 

Ex-seleção brasileira ganha bandeirão e mosaico da torcida do Olympique

Após críticas, torcida rubro-negra abraça retorno de Julio Cesar ao Flamengo

Em busca do sonho de virar jogador, Bolt treina com time sul-africano

 

Tévez disse estar consciente de que precisa se destacar no Boca para chamar a atenção do treinador da equipe nacional, Jorge Sampaoli. "Não vai ser fácil para ele", avaliou o jogador.

O retrospecto de Tévez, de 34 anos, não é bom na seleção argentina. Ele disputou 76 jogos e marcou apenas 13 gols com a camisa da equipe.

Além disso, as declarações desastradas sobre o que chamou de 'férias' na China foram mal recebidas no país - e pesa também contra ele o fato de ter marcado só quatro gols em 17 partidas pelo Shanghai Shenhua, o que levanta dúvidas sobre o jogador ser ou não "útil" para a equipe nacional.

Além de criar um mal-estar com a diretoria do clube chinês, Tevez também causou polêmica ao revelar que levava se filho à favela para que "levasse tapas e não desmunhecasse". 

 

 

MAIS SOBRE:

futebol Boca Juniors Copa do Mundo Rússia 2018 [futebol] Shanghai Shenhua
Comentários