Cinco opções de treinador para fazer barulho no seu time em 2018

Todos eles estão fora do futebol, mas por motivos diferentes. Em comum, são todos vencedores

Relacionadas

Seu time procura um treinador capaz de fazer alguma coisa diferente no clube em 2018? O Fera tem cinco indicações de técnicos desempregados e livres no mercado. São eles: Vanderlei Luxemburgo, Muricy Ramalho, Dunga, Felipão e Emerson Leão. Alguns deles estão em outras atividades, mas nunca deixarão de ser treinadores. São comandantes sem ‘mimimi’, capazes de mudar tudo no primeiro dia de trabalho. Todos também estão fora por motivos particulares. Basta o presidente do seu clube ter coragem para contratá-los. E, claro, ter dinheiro. Eles não são técnicos baratos e já vêm com período de validade. Pelo menos é isso o que dizem deles. Em comum, todos eles são vencedores. Vejam quem são:

VANDERLEI LUXEMBURGO

Estava no Sport. Chegou a levar o time para a parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro. Mas perdeu terreno, o grupo e o emprego. Foi demitido porque a equipe caiu de produção e não teve mais fôlego para subir. Há tempo não faz trabalho de uma temporada completa. No papel, não tem ninguém no Brasil que conhece tão bem o riscado.

EMERSON LEÃO

É duro na queda. Implica com tudo e todos. É um treinador que organiza equipes e cobra o envolvimento dos jogadores. Leão não tolera muitas gracinhas. É da moda antiga, disciplinador, mas sabe trabalhar com garotos. Mostrou isso principalmente no Santos, de Robinho e Diego. Foi esquecido pelo mercado.

DUNGA

Está parado desde que saiu da seleção brasileira. Sua experiência é pequena em clubes. Não é lembrado por muitos dirigentes no Brasil. Seu estilo é de treinador linha dura, que deixa o elenco tenso e ligado o tempo todo. Na seleção, dizia sempre que quem bobeasse perdia lugar entre os 11. Sua presença à beira do campo é forte e intimidadora, assim como seu comando em treino.

FELIPÃO

Está sem emprego desde que deixou o futebol chinês há um mês. Dispensa apresentações. Já disse que não voltaria a trabalhar no Brasil nesse momento, mas pode mudar de ideia com boa conversa. Tem o estilo gaúcho de comandar, duro, mas defende seus jogadores com unhas e dentes. É do tipo paizão com o elenco. Sabe motivar. Gosta de ter o grupo nas mãos.

MURICY RAMALHO

Virou comentarista de TV para não ficar longe do futebol. A saúde o tirou do Flamengo, seu último clube. Perdeu peso e passou a se cuidar mais. Teve no São Paulo seus melhores momentos. Conhece o riscado e não é de inventar. Fala o ‘boleirês’ direto. Não rodeia, mas também não fala mal de seus jogadores. Com Muricy é olho no olho. É do tipo que cumpre contratos.    

MAIS SOBRE:

Flamengo futebol Luiz Felipe Scolari Muricy Ramalho Emerson Leão Luxemburgo [Luxemburgo]
Comentários