Federação investigará tweet do Spartak chamando brasileiros de 'chocolate'

Mensagem foi publicada pelo zagueiro Georgi Dzhikiya, em referência a Pedro Rocha, Fernando e Luiz Adriano

Relacionadas

A União de Futebol da Rússia (UFR) anunciou nesta segunda-feira, 15, que investigará se há motivos para punição na mensagem postada pelo zagueiro Georgi Dzhikiya no perfil do Spartak Moscou no Twitter chamando os brasileiros do clube de "chocolate".

A polêmica foi iniciada por uma postagem com um vídeo em que aparecem o volante Fernando e os atacantes Pedro Rocha e Luiz Adriano treinando em Dubai e a legenda "Vejam como chocolate derrete no sol". Na véspera, o clube havia anunciado que seria Dzhikiya o responsável pelos tweets do perfil.

 

Real Madrid pode usar Cristiano Ronaldo como moeda de troca por Neymar

Jornal: Cristiano Ronaldo quer deixar o Real Madrid e voltar ao Manchester United

Quer uma rede? Neymar publica vídeo de caneta humilhante em treino do PSG

+ Siga o Fera no Twitter!

 

A mensagem repercutiu negativamente pelo mundo todo e foi apagada. Depois, o clube postou outras filmagens, uma em que Fernando diz não haver racismo no Spartak e outra em que Dzhikiya, abraçado pelos três companheiros, pede desculpas.

A Fifa condenou a mensagem do jogador russo, mas ressaltou que a investigação caberia à federação nacional. Sobre isso, o presidente do comitê disciplinar da UFR, Artur Grigoriants, prometeu uma "análise escrupulosa".

Segundo a imprensa local, Dzhikiya poderia ser suspenso por vários jogos, o que aconteceu com o ex-técnico do Rostov Igor Gamula. Em 2014, o treinador reclamou do excesso de "jogadores de pele escura" na Rússia e fez um comentário jocoso envolvendo o vírus Ebola, o que lhe rendeu um gancho de cinco partidas. / EFE

 

 

MAIS SOBRE:

futebol spartak moscou Pedro Rocha Fifa [Federação Internacional de Futebol] Rússia racismo
Comentários