Secretaria proíbe meninas de disputar torneio masculino de futebol

Decisão de não ter times mistos descumpre promessa feita no ano passado

Relacionadas

A Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo decidiu manter o regulamento que proíbe times mistos nos campeonatos de categorias de base. A decisão, entra em confronto com a promessa feita no ano passado, quando a jogadora Laura Pigatin, da equipe Adesm, clube de São Carlos, reclamou e depois foi autorizada a participar das competições.

Na ocasião, a família de Laura resolveu usar as redes sociais para desabafar sobre a situação. A garota, de apenas 12 anos, estava proibida de disputar a segunda fase do título municipal com a sua equipe, por ser mulher. Em entrevista ao Estado, o pai da jovem desabafou sobre o caso: "A secretaria promove campeonato feminino só no sub-17, então até a menina completar 16 anos não pode praticar futebol. Por isso que as meninas desistem, na verdade, nem começam, pois não tem como jogar. As poucas guerreiras que insistem, na maioria das vezes chegam aos 17 sem fundamentos, pois não participaram de campeonatos. Vivemos em uma época de inclusão e essa política é claramente de exclusão, um verdadeiro absurdo".

Depois das reclamações, a secretaria chegou a publicar uma retificação no regulamento do campeonato estadual de futebol, para que pudesse incluir a participação de meninas dentro da competição. A mudança, que não era definitiva, não segue para a temporada de 2017. "Menino é menino e menina é menina. Time misto não vai ter porque dentro da nossa concepção menino joga com menino e menina joga com menina. Esta relação de time misto não vai existir aqui na secretaria", afirma o diretor de esporte Marco Antonio Cardoso, ao portal Uol.

 

MAIS SOBRE:

Futebol Secretaria de Esporte Laura Pigatin Futebol Futebol Feminino
Comentários