Cinco motivos para assistir ao UFC 220 com duas disputas de cinturão

Além dos duelos pelos títulos pesados e meio-pesados, quatro brasileiros estarão em ação neste sábado, 20

 S. Miocic (esq) pega F. Ngannou (dir) no UFC 220 (Foto: Reprodução Instagram ufc_brasil)

Relacionadas

O Ultimate abre a temporada de grandes eventos neste sábado, 20, com o UFC 220. O show, que será realizado em Boston, nos Estados Unidos, conta com duas disputas de título como principais atraçoes. No peso pesado, Stipe Miocic tentará fazer história contra o fenômeno camaronês Francis Ngannou, enquanto no meio-pesado, Daniel Cormier buscará recuperação de sua última luta ao enfrentar o perigoso suíço Volkan Oezdemir, conhecido pelas mãos pesadas e nocautes rápidos.

Além dos dois duelos valendo cinturões, o UFC 220 contará com a participação de quatro brasileiros. Abrindo a porção principal do evento, o peso galo Thomas Almeida tenta voltar à coluna das vitórias contra o norte-americano Rob Font, enquanto Francimar Bodão enfrenta Gian Villante no meio-pesado.

Já no card preliminar, o mosca Alexandre Pantoja busca seguir sua ascensão rumo ao topo da categoria diante do perigoso Dustin Ortiz, e o peso leve Gleison Tibau volta de suspensão por doping contra o russo Islam Makhachev, em duelo que abrirá a noite de lutas do UFC 220.

 

Belfort se revolta com recusa de Bisping: ‘Admita que está com medo’

+ Bisping recusa luta de revanche com Vitor Belfort: ‘É um hipócrita’

+ Siga o Fera no Twitter!

 

MIOCIC PODE FAZER HISTÓRIA

Tido como zebra no UFC 198 de maio de 2016, Stipe Miocic chocou o mundo ao nocautear Fabricio Werdum na frente de 45 mil brasileiros. O croata-americano seguiu sua ascensão rumo aos livros de história do peso pesado ao nocautear Alistair Overeem no UFC 203, e depois vingar a derrota sobre Junior Cigano no UFC 211. Nas três lutas, Miocic nocauteou no primeiro round.

 S. Miocic garantiu que fica com título (Foto: Reprodução/Twitter/StipeMiocic)

Diante de Francis Ngannou, o campeão está perto de se tornar o primeiro homem a defender o cinturão peso pesado três vezes seguidas. Nomes históricos da categoria, como Randy Couture, Tim Sylvia, Andrei Arlovski e Cain Velásquez chegaram perto, mas nunca ultrapassaram a marca. Oportunidade única para Miocic se tornar um grande astro e fincar seu nome como o lutador mais perigoso do mundo.

 

FENÔMENO NGANNOU

Apesar de iniciar sua carreira profissional há apenas cinco anos, o camaronês radicado na França Francis Ngannou está a uma luta de se tornar o campeão peso pesado do UFC, título mais glamouroso dos esportes de combate. Tido como um fenômeno pelo jeito como termina suas lutas, Ngannou está invicto no Ultimate, com seis vitórias seguidas, com cinco nocautes e uma finalização.

 Ngannou quer se tornar primeiro campeão africano (Foto: Reprodução Twitter ufc)

Para chegar à uma disputa de cinturão, o "Predador" precisou passar por nomes relevantes da divisão, como o ex-campeão Andrei Arlovski e o condecorado Alistair Overeem, campeão do Strikeforce, do Dream e do K-1. Pois foi o nocaute histórico diante do holandês que colocou Ngannou no caminho para o estrelato.

Contra Miocic, porém, o fenômeno africano terá outros desafios pela frente. O campeão tem mãos pesadas, mas é mais rápido que seus últimos adversários, além de ter um subestimado jogo de wrestling, que pode pregá-lo no chão a qualquer momento. Caso passe por mais esse desafio, o céu é o limite para o camaronês, que se tornará o primeiro campeão africano da história do UFC.

 

EM BUSA DA REDENÇÃO

Mesmo sendo o atual campeão meio-pesado, Daniel Cormier vem de um brutal nocaute sofrido nas mãos de Jon Jones. Apesar de a derrota ter se transformado em luta sem resultado após "Bones" acabar sendo pego em exame antidoping, DC sabe que precisará reconquistar os fãs para ser considerado novamente um campeão de fato.

 D. Cormier (esq) pega V. Oezdemir (dir) (Foto: Reprodução Instagram ufc_brasil)

Para isso, o norte-americano terá de passar pelo perigoso Volkan Oezdemir. O suíço se credenciou a disputar o cinturão após três vitórias em três lutas no Ultimate. Após uma vitória por decisão dividida contra Ovince St. Preux, "No Time" honrou o apelido ao nocautear Misha Cirkunov e Jimi Manuwa em menos de um minuto em ambas as vezes. Com apenas uma derrota na carreira, Oezdemir é o adversário perfeito para que Cormier faça as pazes com a vitória e com o público norte-americano, que já o vaiou tantas vezes, mas parece estar a seu lado após as polêmicas com Jones.

 

THOMINHAS QUER REGULARIDADE

Após iniciar sua carreira com 18 vitórias seguidas, o brasileiro Thomas Almeida tem duas derrotas em suas últimas três lutas. Depois do nocaute sofrido para o ex-campeão Cody Garbrandt, Thominhas se recuperou diante de Albert Morales, mas voltou a ser derrotado em duelo contra Jimmie Rivera, em julho do ano passado.

 T. Almeida vem de derrota no Ultimate (Foto: Reprodução Instagram ufc_brasil)

Contra Rob Font, que também vem de revés, para Pedro Munhoz, Almeida encontrará um trocador de mãos pesadas e jogo rápido de pés, e poderá usar seu jiu-jitsu para entrar nos eixos de vez entre os galos. Atualmente na 10ª posição do ranking e tido como a grande esperança do MMA do Brasil na categoria, o atleta da Chute Boxe Diego Lima precisa vencer o número 14 da divisão para mostrar que segue como um possível futuro campeão.

 

OUTROS BRASILEIROS EM AÇÃO

Além de Thominhas, Alexandre Pantoja é o outro brasileiro ranqueado em ação no UFC 220. Atual 11º colocado entre os moscas, o ex-campeão do RFA conquistou duas boas vitórias depois de ser eliminado na semifinal do TUF 24. Contra Dustin Ortiz, número 10 do ranking, Pantoja pode se colocar no top-10 e já sonhar com voos mais altos rumo a uma disputa de cinturão.

 Pantoja busca terceira vitória seguida (Foto: Reprodução Facebook ufc)

No meio do card principal, Francimar Bodão enfrenta Gian Villante, um oponente na medida para ele. Atualmente na 15ª posição entre os meio-pesados, o norte-americano pode ser o passaporte do brasileiro rumo ao ranking. Vindo de derrota para Aleksandar Rakic, Bodão tem sofrido com a irregularidade em sua carreira no UFC e precisa do triunfo também para manter o emprego.

Abrindo o show, Gleison Tibau volta de suspensão de dois anos por doping contra Islam Makhachev. Brasileiro com o maior número de lutas no UFC (26), o peso leve sabe que só uma vitória lhe dará tranquilidade para o prosseguimento de sua carreira com a promoção.

 

UFC 220: Miocic vs. Ngannou

TD Garden, Boston, Estados Unidos

20/01/2017, a partir das 21h15 (horário de Brasília)

Canal Combate

Card principal 

Peso pesado: Stipe Miocic x Francis Ngannou

Peso meio-pesado: Daniel Cormier x Volkan Oezdemir

Peso pena: Calvin Kattar x Shane Burgos

Peso meio-pesado: Gian Villante x Francimar Bodão

Peso galo: Thomas Almeida x Rob Font

Card preliminar

Peso pena: Kyle Bochniak x Brandon Davis

Peso meio-médio: Sabah Homasi x Abdul Hazak Alhassan

Peso mosca: Alexandre Pantoja x Dustin Ortiz

Peso pena: Dan Ige x Julio Arce

Peso pena: Matt Bessette x Enrique Barzola

Peso leve: Gleison Tibau x Islam Makhachev

MAIS SOBRE:

lutas Stipe Miocic Francis Ngannou UFC [Ultimate Fighting Championship] MMA [artes marciais mistas]
Comentários