Cyborg afirma ter aceitado superluta contra Amanda Nunes no UFC 226, em julho

Campeã peso pena diz ter aceitado enfrentar a compatriota no UFC 226, em Las Vegas, contrariando a expectativa do evento que gostaria da superluta no UFC Rio

 Cyborg (esq.) e Amanda (dir.) devem fazer superluta no UFC. Foto: Reprodução / Instagram CrisCyborg

Relacionadas

A superluta de campeãs brasileiras Amanda x Cris Cyborg deu um importante passo para se tornar realidade! O acerto para o duelo estava apenas na dependência do 'sim' da Cris, mas a campeã peso pena do UFC usou suas redes sociais para confirmar que aceita encarar a compatriota, dona do cinturão peso galo da franquia.

"Eu concordei em lutar contra Amanda Nunes no dia 7 de julho, em Las Vegas, como parte do UFC 226 e International Fight Week. Agora estou aguardando que meu manager trabalhe com o UFC em um acordo para que possamos fazer o Cyborg vs. Nunes, The Super Fight, oficial", escreveu Cyborg em sua conta no Instagram.

 

Após novo doping, Anderson Silva garante que nunca usou esteroides

Cyborg reclama do UFC e elogia Bellator: ‘Só serei campeã se for para lá’

 Siga o Fera no Twitter!

 

 

A ideia inicial do UFC seria promover a superluta no UFC 224, dia 26 de maio, no Rio de Janeiro. Mas, na última semana, Cyborg colocou a condição de encarar Amanda apenas se a disputa fosse realizada em um grande card, já que, segundo Cris, a rival não consegue vender pacotes de pay-per-view nos EUA. Já o UFC 226, no dia 7 de julho, é um dos maiores cards do Ultimate no ano, na semana da Independência norte-americana, em 4 de julho.

“Posso lutar com a Amanda... Mas ela não vende pay-per-view, no máximo 100 mil (no UFC 215, quando enfrentou Shevchenko). Vencer ela não muda nada em nada minha carreira. Superluta? Ela não é o McGregor. Se for um grande evento, com grandes nomes, pode ser uma grande luta”, disparou Cyborg, em entrevista ao programa "MMA Hour", do portal MMA Fighting. “Claro que ela quer essa luta. Ela lutou com a Ronda e a Ronda a fez três milhões. Ela lutou com a Miesha, no card do Brock Lesnar, e fez pay-per-view. Mas ela não vende por ela mesma", completou.

MAIS SOBRE:

lutas mma amanda nunes Cris Cyborg UFC [Ultimate Fighting Championship]
Comentários