Jon Jones passa por detector de mentiras por inocência em doping

Norte-americano tenta provar inocência após ter caído pela segunda vez em teste antidoping

Ex-campeão meio-pesado do UFC, Jon Jones tomou medidas drásticas buscando provar sua inocência após ser pego em novo teste antidoping após o UFC 214, em julho do ano passado.

O norte-americano contratou e passou por um teste do polígrafo, um detector de mentiras para garantir que não tomou esteroides por vontade própria. A informação é do site norte-americano MMA Fighting, que diz que "Bones" passou no teste.

Cyborg coloca condição para luta contra Amanda e promete: ‘vou te matar’

UFC deve retirar cinturão de McGregor: 'A divisão tem que seguir em frente'

O detector foi utilizado em Jon Jones em 7 de dezembro e o ex-campeão fez o teste de vontade própria, já que nem a USADA nem o UFC pediram para que ele passasse por esse procedimento. Ele ainda não recebeu uma punição oficial da CSAC (Comissão Atlética da Califórnia), mas está suspenso provisoriamente pelo Ultimate, além de ter perdido o cinturão meio-pesado conquistado no UFC 214.

Essa foi a segunda vez que Jones caiu no doping. Em 2016, dias antes do UFC 200, o norte-americano foi pego por uso de duas substâncias proibidas e a revanche com Daniel Cormier foi cancelada. Um ano depois, no UFC 214, Jones finalmente enfrentou o arquirrival novamente, nocauteando-o e reconquistando seu cinturão meio-pesado. Porém, após a luta, ele foi pego novamente em teste antidoping e DC recebeu o título de volta.

MAIS SOBRE:

lutas UFC [Ultimate Fighting Championship] MMA [artes marciais mistas] doping
Comentários