Roy Jones Jr. vence luta de despedida, mas volta a desafiar Anderson Silva

Enfrentar o brasileiro foi a condição imposta por Jones Jr. para deixar a aposentadoria

A carreira de um dos maiores nomes do boxe chegou ao fim em grande estilo. Aos 49 anos, Roy Jones Jr. pendurou as luvas com um histórico de 66 vitórias, apenas nove derrotas e oito títulos mundiais. Na madrugada desta sexta-feira, o norte-americano derrotou Scott Sigmon na decisão unânime dos juízes e colocou um ponto final em uma das carreiras mais vitoriosas do esporte.

Ultimate divulga primeiras lutas do UFC 224, no Rio de Janeiro

Na luta de despedida, Jones mostrou, que apesar da idade, ainda mostrou sua habilidade para dominar a disputa diante de Sigmon. Ao final de 10 assaltos, Jones Jr foi declarado vencedor na decisão unânime dos juízes: triplo 98-92.

Desafio a Anderson Silva

Ainda no ringue, Roy Jones confirmou a aposentadoria, mas afirmou que poderia voltar a competirsob uma condição: a superluta contra Anderson Silva.

“Dana (White, presidente do UFC), eu sei que você está me ouvindo. Sei que o Anderson está suspenso. Mas essa seria a única luta que faria Roy Jones voltar ao ringue. Sem ser isso, capítulo encerrado”, declarou.

MAIS SOBRE:

lutas aposentadoria UFC [Ultimate Fighting Championship]
Comentários