Medina elogia piscina de ondas de Slater e a vê como opção para Jogos de 2020

Surfista brasileiro disse que achou ondas muito parecidas com as do mar e vê tecnologia como alternativa à disputa olímpica em 2020

Relacionadas

O surfista brasileiro Gabriel Medina, vencedor do Future Classic, primeiro campeonato de surfe realizado na piscina de ondas artificiais construída pelo norte-americano Kelly Slater, na Califórnia, voltou a elogiar a tecnologia, que proporcina "tubos infinitos".

Medina disse que vê uma piscina semelhante como boa alternativa para a disputa de surfe nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio - embora a organização dos jogos já tenha sinalizado que prefere promover a disputa de maneira tradicional, no mar.

"Eu achei a onda demais, muito parecida com as do mar", afirmou Medina na sede do instituto que tem seu nome, na Praia de Maresias, em São Sebastião, onde iniciou sua carreira. "É claro que, no começo, estava um pouco perdido, mas, com o treino, acho que dá para ficar bom naquele tipo de onda".

Por meio da Kelly Slater Wave Company, Slater, que tem 11 títulos mundiais no currículo, criou a piscina com ondas artificiais em Lemoore, Califórnia. O também brasileiro Filipe Toledo chegou, ao lado de Medina, à final do evento, chancelado pela World Surf League (WSL).

Veja o vídeo de Medina durante as competições:

 

Practice. @kswaveco thanks @sageerickson

Uma publicação compartilhada por G. Medina (@gabrielmedina) em

MAIS SOBRE:

surfe Surfe Gabriel Medina
Comentários