Sem patrocínio, brasileira busca apoio para disputar Mundial de Stand Up

Aline Adisaka conquistou quatro vagas na competição, mas não tem dinheiro para viajar

Relacionadas

Habituada a superar adversidades, a paulista Aline Adisaka está diante de um novo e importante desafio. A atual bicampeã brasileira de Stand Up Paddle Wave, campeã brasileira de sprint race e vice brasileira de sup race garantiu sua participação no ISA World Sup and Paddleboard Championship, na Dinamarca. Porém, atualmente sem patrocinador, ela corre contra o tempo para conseguir custear as despesas da viagem.

A atleta de Ubatuba é a única do País até hoje a garantir vagas nas quatro provas do evento e optou por competir em três delas, onde têm chances reais de títulos. Junto com a preparação física e técnica para competir, ela faz contas de quanto gastará, tenta um patrocinador e, em paralelo, promove uma campanha financiamento coletivo pela internet, além de vender equipamentos pessoais. Tudo na esperança de alcançar o valor necessário. "Estou vendendo pranchas, remos usados, roupas que não uso mais e também dos meus irmãos e estou tendo um grande apoio da família, amigos e admiradores do meu trabalho. Ainda tenho esperança de conseguir fechar parceria com alguma empresa", disse.

Ela calcula que deve gastar em torno de R$ 18 mil e até o momento só arrecadou R$ 3 mil, faltando dez dias para o campeonato. "Não vou desistir. O mais difícil já consegui, que são as vagas e não se pode comprar", revela a atleta. "Lutei bastante tempo para conseguir conquistar uma vaga no ISA Games e hoje, graças a Deus, consegui algo inédito, que nenhum atleta, entre homens e mulheres, havia conquistado antes".

Apesar da conquista e do Mundial começar em 1º de setembro, Aline atualmente passa a maior parte do dia fora do mar. "Na verdade, como estou na maior missão de captar recursos para viabilizar a viagem, fico o dia todo correndo atrás de comércios, mandando e-mails, batendo de porta em porta, vendendo coisas e isso tudo toma muito tempo. Estou com a planilha de treinos, mas não estou conseguindo cumpri-la como gostaria. Agora, retorno ao Rio de Janeiro e farei alguns treinos com a Andréa Lopes", contou.

MAIS SOBRE:

Radicais Surfe
Comentários