Dirigentes da Fórmula 1 analisam acabar com grid girls: 'Ficou datado'

Novos proprietários da F-1, a Liberty Media está discutindo se o esporte deve continuar usando as modelos

Relacionadas

A Liberty Media, empresa norte-americana que detém os direitos da Fórmula 1, está analisando a possibilidade de deixar de utilizar modelos nas corridas. A proposta visa fazer com que as mulheres deixem de ser vistas como “ornamentos” na F-1, mas encontra resistência de um público que vê as 'grid girls' como parte da tradição do esporte. 

"Muitas pessoas respeitam a tradição das grid girls, mas há pessoas que sentem que isso se tornou um pouco datado. Então, estamos lidando com isso", disse Ross Brawn, diretor esportivo da F1, em entrevista à Radio 5 live.

As 'grid girls' são modelos contratadas por equipes e organização dos GPs para participar do fim de semana de prova. Elas vestem uniformes das escuderias, participam de eventos promocionais dentro do circuito e dão suporte aos funcionários, como segurar guarda-chuva ou levantar placas de instrução.

"O que nós precisamos fazer é ver os diversos pontos de vista e fazer a decisão correta para o futuro do esporte”, disse o CEO da Liberty na Fórmula 1, Chase Carey, para a BBC. 

 

MAIS SOBRE:

velocidade Liberty Media Fórmula 1 BBC [British Broadcasting Corporation]
Comentários