Repórteres da Globo se emocionam em despedida de Felipe Massa da F-1

Mariana Becker e Guilherme Pereira não seguraram as lágrimas em Interlagos

Relacionadas

O Grande Prêmio do Brasil, neste domingo, 12, marcou a última corrida da carreira de Felipe Massa na Fórmula 1. Além dele e de sua família, os repórteres da TV Globo que acompanham a temporada da principal categoria do automobilismo também se emocionaram na despedida do piloto. 

A jornalista Mariana Becker, que passou a cobrir por completo as temporadas da Fórmula 1 em 2008, ano em que Massa quase foi campeão, não conteve as lágrimas em Interlagos. Em entrevista ao UOL Esporte, ela disse que a despedida deste ano foi mais triste do que a de 2016. 

 

+ Ela errou? Entenda por que Anitta não imitou a Vanusa na Fórmula 1

+ Massa se despede ovacionado e com mensagem do filho: 'Orgulhoso de você'

+ Anitta canta hino nacional na F-1 e fala sobre relação com Hamilton

+ Siga o Fera no Twitter

 

"Há um ano, a gente já estava se preparando para essa despedida dele. Lembro que ele saiu do box e eu estava o esperando na saída do box para entrevistar, com o queixo já tremendo. Ele me deu um abraço e eu chorei. Mas era diferente porque tinha o Felipe Nasr aqui e ele tinha feito uma excelente corrida. Achei que ele ficaria neste ano. E até quando o Massa voltou ele brincou comigo, falou que eu chorei à toa", afirmou. 

"Mas hoje foi uma coisa mais pessoal. Sei o quanto a família representa para ele, sei que ele ficou muito tocado com a mensagem do Felipinho. Ele não é um cara que chora geralmente. Então hoje, quando ele estava tentando se segurar falando comigo na entrevista e eu também, foi muito tocante. Depois que terminou, eu olhei para a família e eles sabem que eu acompanhei tudo, então dei uma 'desabadinha' de leve", completou Becker. 

 

 

JORNALISTA PRÓXIMA DA FAMÍLIA

A proximidade da jornalista com a família do piloto foi comprovada por Anna Raffaela, mulher de Massa. Também ao UOL Esporte, ela recordou do acidente sofrido por Massa, em 2009, e da presença de Mariana durante a recuperação do então piloto da Ferrari. 

"É muito bacana porque a Mari acompanhou a gente em tudo. Na época do acidente, ela ficou lá no hospital, (cobriu) todas as notícias, as vitórias, então ela também participou. Ela mora em Mônaco também. Neste ano, quando ele voltou, ligamos para ela: 'Mari, agora vem que você vai ter que anunciar o retorno também’", disse Anna Raffaela. 

E encerrou: "Faz parte da família da Fórmula 1, que é com quem a gente convive, viaja, fica junto (o ano inteiro). Para eles é difícil também enxergar o Felipe saindo, vê-lo emocionado e não se emocionar. Acaba tendo o carinho também, não é só um trabalho”.

 

 

SONHO REALIZADO

Em seu primeiro ano cobrindo Fórmula 1, Guilherme Pereira também ficou tocado pela situação. Segundo o repórter, sua paixão pela categoria vem do pai, "que era completamente maluco pela F-1". "Inclusive a lua de mel dele e da minha mãe foi em uma corrida: ele a colocou na garupa da moto e foram para o Rio ver a corrida. Quem diria que 31 anos depois estou cobrindo a categoria", disse ao UOL Esporte

"Eu já era fã do piloto, agora sou fã da pessoa...um cara que teve carinho e paciência pra receber um moleque cheio de dúvidas e vontade", publicou Pereira na legenda de uma foto ao lado de Massa, Becker e Julianne Cerasoli, repórter do UOL, publicada em sua conta no Instagram. 

 

 

MAIS SOBRE:

velocidade Felipe Massa Fórmula 1
Comentários