Atleta do Knicks não vai a Londres por medo de ser assassinado por espiões

Enes Kanter é crítico do governo de Recep Tayyip Erdogan, o presidente da Turquia

Relacionadas

O New York Knicks vai enfrentar o Washington Wizards em Londres no dia 17 de janeiro. No entanto, apesar de mais dez dias até o duelo, o Knicks já tem uma baixa confirmada: o jogador Enes Kanter confirmou que não viajará por medo de ser assassinado.

Não entendeu nada? Calma que o FERA explica. De ascendência turca, Kanter é crítico do governo do presidente do país Recep Tayyip Erdogan. O jogador, inclusive, já foi acusado pelo governo da Turquia de ser "membro de uma organização terrorista" e chegou a ter um mandado de prisão emitido.

"Há uma chance de eu ser morto lá. Então vou ficar aqui. É muito triste que tudo isso afete minha carreira e meu basquete, porque quero ajudar meu time a vencer. Mas só por causa de um cara lunático, um maníaco, um ditador, eu não posso nem ir lá e fazer o meu trabalho, é muito triste", declarou o atleta da NBA em entrevista a imprensa após a vitória sobre o Lakers. 

Kanter afirmou que só pode viajar nos Estados Unidos e Canadá. Sobre Londres, o jogador de 26 anos relata que "existem muitos espiões do governo" e por isso "poderia ser morto com facilidade". Crítico do governo de Erdogon, Kanter se refere ao político como "Hitler do nosso século".

O passaporte turco de Kanter foi revogado em 2017 e no mesmo ano ele foi detido em um aeroporto na Romênia. Apesar das declarações do camisa 00 da equipe, o Knicks atribuiu a ausência do jogador na viagem internacional a uma questão de visto.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

‪#DictatorErdogan @nypost ‬

Uma publicação compartilhada por Enes Kanter (@eneskanter11) em

 

MAIS SOBRE:

basqueteNew York KnicksNBA [National Basketball Association]Londres [Inglaterra]Recep Tayyip Erdogan
Comentários