Ditador da Coreia do Norte muda regras do basquete e cestas valem até oito pontos

Kim Jong-Un, líder supremo norte-coreano, é aficcionado por basquete e instituiu novo sistema de pontuação para as partidas em seu país

Relacionadas

Todo o mundo sabe: o que Kim Jong-Un, ditador da Coreia do Norte, fala, vira lei em seu país. Agora, à margem das tensões políticas com os Estados Unidos por causa de testes nucleares, e na iminência de uma guerra, o líder supremo norte-coreano, que também é um aficcionado por basquete, resolveu mexer nas regras do esporte nas partidas disputadas em território da Coreia do Norte, para tornar os jogos "mais atrativos".

O relato foi feito por jogadores chineses que atuam na Coreia ao site Basquetplus.com. Pelo novo sistema de pontuação "maluco", criado por Kim, as cestas valem o seguinte: um arremesso de três, soma agora quatro pontos; uma enterrada, agora vale três pontos. E uma cesta, seja de dois ou três pontos, desde que marcada nos três últimos segundos de jogo, soma incríveis oito pontos para o time. Só uma cesta de dois, no tempo normal de jogo, continua valendo o mesmo.

O ditador norte-coreano, de 34 anos, praticou basquete quando adolescente e, secretamente, estudou na Suíça. Um de seus ídolos é o ex-jogador da NBA Michael Jordan. Agora, resolveu unir o capricho ao poder do seu cargo e mexer nas regras da modalidade.

Há alguns anos, Kim Jong-Un chegou a organizar uma partida de exibição na Coreia do Norte com ex-estrelas da NBA, entre elas Dennis Rodman. O ex-jogador do Chicago Bulls disse, na ocasião, ter ficado amigo do ditador norte-coreano, a quem chamou de "uma boa pessoa".

MAIS SOBRE:

basqueteKim Jong-UnBasquete
Comentários