Emissora americana lista razões para falta de grandes rivalidades na NBA

Segundo a FOX Sports, previsibilidade de finalistas, Jogos Olímpicos e trocas de equipes podem ter 'murchado' a liga

Relacionadas

Por anos, a NBA foi marcada por grandes dinastias e fortes (violentas) rivalidades entre franquias e jogadores. Um exemplo é o domínio do Boston Celtics entre 1957-69, que chegou a 12 finais e 11 títulos em 13 temporadas; ou o Los Angeles Lakers, com pentacampeonato entre 1949-54, o tri 2000-02 e o bi em 2009-10; e o Chicago Bulls de Michael Jordan, com dois tricampeonatos, entre 1991-93 e 1996-98. 

Além disso, diversos jogadores e franquias criaram enormes rivalidades periódicas, como Patrick Ewing e David Robinson, Magic Johnson e Larry Bird, Kareem Abdul-Jabbar e Robert Parish, Karl Malone e Dennis Rodman, além de Lakers e Celtics, Pistons e Bulls, Heat e Knicks, entre outras. 

A FOX Sports norte-americana preparou uma lista de razões pelas quais esses confrontos não são mais comuns na atual NBA. Confira a seguir algumas razões. 

 

Liga previsível

Apesar do San Antonio Spurs, Los Angeles Clippers e Toronto Raptors serem fortes, todos preveem uma nova final entre Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors. Com uma liga tão desequilibrada, é mais difícil ver times medianos vencendo os líderes de Conferência. 

Presença em Jogos Olímpicos

Desde 1992, as principais estrelas do basquete norte-americano se tornaram mais presentes em torneios internacionais, tanto campeonatos mundiais como Jogos Olímpicos. Sendo assim, os grandes nomes da liga também se tornam colegas de equipe, o que acaba com possíveis animosidades. 

 

Principais estrelas trocam de franquia na agência livre

No passado, os maiores jogadores se tornavam o símbolo dos times da NBA e, consequentemente, as rivalidades. Neste ano, por exemplo, Kevin Durant trocou o Oklahoma City Thunder pelo Golden State Warriors, acabando com qualquer hostilidade criada em Oklahoma, principalmente contra a dupla Durant-Westbrook. 

Confira os outros motivos citados pela FOX Sports aqui

MAIS SOBRE:

basquetenbanbaEstados Unidos
Comentários