Ex-jogadora da WNBA se casa com homem que ajudou a libertar da cadeia

Maya Moore foi quatro vezes campeã da principal liga de basquete feminino do mundo, mas abandonou carreira por amor

Relacionadas

Maya Moore teve uma grande carreira no basquete: foi campeã da WNBA quatro vezes, duas vezes medalhista de ouro na Olimpíada, e foi campeã mundial com a seleção dos Estados Unidos. Mas ela abriu mão de seguir buscando títulos e marcas pessoais por amor. No caso, a Jonathan Irons, homem que considerava ter sido injustamente condenado a 50 anos de prisão.

Maya conheceu a história de Jeremy há 12 anos, através dos avós. Eles lhe contaram como o rapaz foi acusado de ter cometido um assalto com arma de fogo em que uma pessoa se feriu (mas ninguém morreu) e condenado a 50 anos de prisão. Ao longo de dois anos, Irons, então um menor de idade com 16 anos, foi interrogado sem a presença de advogado ou guardião legal e condenado por um júri formado inteiramente por pessoas brancas. Diversas apelações foram recusadas.

A futura atleta, então, se compadeceu do caso e pesquisou muito sobre o assunto, até acabar se convencendo de que se tratava de um inocente. Ao longo dos anos, os dois desenvolveram uma amizade e passaram a se falar mesmo em dias de jogos do Minnesota Lynx, quando ela estava prestes a entrar em quadra. E, da amizade, nasceu o amor.

Em 2019, Maya anunciou que iria parar a carreira para poder focar unicamente no caso de Jonathan. Em julho de 2020, Irons foi libertado após o juiz Daniel Green considerar que a investigação teve muitos problemas e foi 'circunstancial'.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Maya Moore (@mooremaya) em

Nesta quarta-feira, o casal participou do programa de televisão 'Good Morning, America' para contar a história. "Queríamos anunciar que estamos super animados para continuar o trabalho que estamos fazendo juntos, mas como um casal. Nós nos casamos há alguns meses e estamos animados para continuar este novo capítulo da vida juntos", disse Maya.

Segundo Jonathan, ele disse a ela que a amava ainda na cadeira, mas não não queria iniciar um relacionamento para não atrapalhar a amada. "Eu não queria que ela se sentisse presa, eu queria que ela se sentisse aberta. Se fosse demais, que a qualquer momento ela poderia sair e encontrar alguém. Viver a sua vida. Mas quando saí da prisão, éramos apenas eu e ela na sala do hotel. Estávamos bêbados de felicidades. Eu me ajoelhei e olhei para ela, que sabia exatamente o que estava acontecendo. Eu perguntei: "quer se casar comigo?". E ela disse sim", relatou.

O casamento foi realizado durante a pandemia, com convidados usando máscaras e socialmente distantes. Mas, segundo o feliz casal, o importante foi que a cerimônia pode acontecer.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

See you on GMA in the morning! #winwithjustice

Uma publicação compartilhada por Maya Moore (@mooremaya) em

MAIS SOBRE:

basqueteracismoWNBA [Women's National Basketball Association]
Comentários