Oscar reclama de apelido: 'Mão santa é o c... É mão treinada'

Ídolo do basquete afirma ter mudado jeito de ver a vida após vencer câncer no cérebro

Relacionadas

O ex-jogador de basquete Oscar falou sobre a luta contra o câncer que viveu durante alguns anos e reclamou do apelido do apelido de 'mão santa' que recebeu durante a carreira, durante uma entrevista para o site globoesporte.com.

"Mão Santa é o cacete! É mão treinada. Os caras não sabem o que eu treinei. Ah, milagre! O brasileiro adora milagre, não é? Tudo é milagre! Se eu fosse jogador de futebol seria um excelente batedor de falta. Meu forte era treinar", falou, sobre o apelido.

Recuperado de um câncer no cérebro, Oscar diz que ainda toma remédios e faz tratamento por precaução. "O meu médico falou isso para mim. Que, nesse momento, eu estou curado. Só não quero parar de tomar o remédio para isso não voltar", justificou.

Depois de vencer uma das doenças mais terríveis que existe, o ex-jogador de basquete crê levar a vida de uma forma mais positiva. "Levo no alto astral. Por que baixo astral? Eu estou vivendo. Tem coisa mais preciosa do que viver? Que eu saiba, não existe", afirmou.

Oscar também conta que aconselhou algumas pessoas "Eu morria de medo de morrer. Morria de medo. Hoje não tenho medo. Aquilo que eu fazia pouco hoje eu faço muito. Eu falo pro dono da padaria: o senhor trabalhando aí, até agora? Por que não vai viajar? Fica com esse monte de dinheiro. Você vai morrer e não vai usar", brincou.

Oscar passou por duas cirurgias  para retirar um tumor de oito centímetros no cérebro, em 2011, além de ter passado por quimioterapia - o que ele ainda faz às vezes, por vontade própria. Nas quadras, Oscar jogou cinco olimpíadas pela seleção brasileira e foi um dos principais nomes do time na histórica conquista do Pan-Americano de 1987, em Indianápolis.

MAIS SOBRE:

basqueteOscar Schmidt
Comentários