4ª divisão da Inglaterra tem time vegano e 'ecologicamente correto'

Forest Green Rovers mudou seu estilo em 2015, vetando carne e outros tipos de alimentos até mesmo para torcedores

Relacionadas

Fundado em 1889, o Forest Green Rovers alcançou, em 2017, a sua maior glória na história, ao chegar pela primeira vez à League Two (equivalente à quarta divisão inglesa). Mais do que conseguir se destacar dentro de campo, o time tem ganho as páginas de jornais do mundo todo pelo estilo adotado, ecologicamente sustentável, contando com gramado orgânico e oferecendo apenas comida vegana dentro de seu estádio.

O clube chega ao ápice sete anos após o empresário ambientalista Dale Vince se tornar sócio majoritário e inicia seu "sonho" de chegar até as primeiras divisões neste sábado, contra o Barnet. Para isso, os jogadores do Forest Green pisarão no gramado do The New Lawn, localizado na pequena cidade de Nailsworth, de 5.800 habitantes, completamente livre de pesticidas. Os responsáveis por cuidar do piso utilizam uma combinação de água de reuso, água de chuva e água de manancial.

Com 128 anos de história, o clube deixou de vender, em 2015, carne, peixe, leite de vaca e outros produtos derivados de animais. Com isso, torcedores, funcionários e até jogadores precisam se adaptar aos menus veganos oferecidos no estádio. O objetivo declarado é "promover a alimentação saudável", por isso, há o compromisso de utilizar ingredientes orgânicos e locais.

Além disso, a iluminação do estádio é feita através de energia gerada por painéis solares. O incentivo ao uso de fontes alternativas é um dos orgulhos do Forest Green, para reduzir a "dependência do sistema elétrico" e "reduzir as contas".

O dono do clube, Dale Vince, também é proprietário da Ecotricity, empresa de energia eólica e solar, e garante que o esporte está aliado com a sustentabilidade. "Quero mostrar que a tecnologia e o pensamento ecológico a um novo público, os torcedores de futebol. Sempre pensamos que são pessoas apaixonadas. Se pudéssemos colocar essa paixão que sentem pelo clube, em questões do meio ambiente, poderíamos impulsionar a mudança", afirmou o dirigente, em entrevista publicada hoje no site da Convenção-Quadro da ONU sobre Mudanças Climáticas.

O empresário revelou ainda que, entre seus planos, está a construção do complexo que terá o nome de Eco Park. No local, estará o novo estádio do Forest Green, além de um centro de negócios.

MAIS SOBRE:

FutebolVeganismofutebolEcologia
Comentários