A bordo de um fusca 1968, gaúchos se preparam para Copa na Rússia

A ideia é rodar cerca de 20 mil quilômetros entre os meses de junho e julho

Relacionadas

O Fusca de 1968 que já riscou sete países da América do Sul tem sonhos mais ousados para 2018: vai cruzar o oceano. O roteiro prevê o embarque do Fusca apelidado carinhosamente de "Segundinho" no Porto de Rio Grande, em abril, e desembarque na Alemanha, de onde será enviado por via terrestre até a cidade de Moscou.

Emissoras batem recorde com a transmissão da Liga dos Campeões

Galvão prova primeira safra de azeite de sua marca e brinca; veja vídeo

Patinadora canadense recebe ameaças de morte em Pyeongchang

A bordo do carro mais popular do mundo, os gaúchos de Pelotas Nauro Júnior e Caio Passos querem mostrar "o lado B" de um dos maiores eventos esportivos do mundo. A ideia é rodar cerca de 20 mil quilômetros entre os meses de junho e julho mostrando os torcedores, as misturas de idiomas e os bastidores do evento que as transmissões internacionais não mostram.

“Fusca e futebol têm a mesma essência, são do povo, e isso faz com que a nossa aproximação com as pessoas seja facilitada”, argumenta Nauro, fotógrafo e idealizador da Expedição Fuscamérica. Nauro terá a companhia do co-piloto Caio Passos, que hoje vive na cidade de Porto, em Portugal.

Projeto coletivo 

Para bancar parte da aventura, Nauro lançou um financiamento coletivo no site Kickante com objetivo de arrecadar R$ 40 mil. “Na verdade, este valor é a metade do total necessário para a viagem, o restante será pleiteado junto a empresas e parceiros", explica. Saiba como contribuir clicando aqui

Veja o vídeo de divulgação do projeto Rússia:

MAIS SOBRE:

futebolFusca [Volkswagen]Moscou [Rússia]Copa do Mundo Rússia 2018 [futebol]
Comentários