Álcool na seleção do Chile? Ex-técnico diz que Vidal 'bebe e não se controla'

'É um caso clínico', afirmou o argentino Jorge Sampaoli, que dirigiu a equipe, em 2015

Relacionadas

Depois da polêmica declaração da mulher do goleiro Bravo, da seleção chilena, de que jogadores teriam deixado de treinar por estar de ressaca, e da resposta a ela dada pelo zagueiro Medel, de que nunca viu nenhum jogador bêbado, o jornal chileno Las Ultimas Noticias publicou outra declaração reveladora sobre o assunto, nesta sexta-feira.

A publicação trouxe o registro de uma conversa do hoje técnico da Argentina, Jorge Sampaoli, que dirigiu a equipe em entre 2012 e 2016, com uma emissora de rádio, em 2015. Na época, ele já considerava ser muito difícil a classificação do Chile para a Copa, por causa dos problemas dos jogadores fora de campo - especialmente após o bicampeonato da Copa América, em 2015 e 2016.

Sampaoli comentou o que classificou de o "caso mais delicado", do volante Arturo Vidal. "É um caso clínico, para um especialista médico. Ele (Vidal) bebe e não se controla", afirmou o técnico, que disse ter negado um pedido do jogador para que abrisse latas de cerveja em um voo da seleção chilena. Sampaoli contou que, depois disso, o jogador acabou levando uma garrafa de uísque para a concentração, com a ajuda de um motorisa - que acabou demitido.

"Há jogadores que já não dão o tom. Edu (Eduardo Vargas) cada vez que o vejo está pior do que antes. Mati (Matías Fernández) já não dá o nível em que quero que jogue na seleção, (Mauricio) Pinilla só pensa nas festas quando o convoco. "Nenhum deles está para enfrentar uma eliminatória como a que temos pela frente", previu a desclassificação, à época.

MAIS SOBRE:

futebolArgentina [América do Sul]Arturo VidalJorge SampaoliChile [América do Sul]Copa América de Futebol
Comentários