Alisson fala sobre a seleção e afirma: 'Não comecei a jogar porque era bonito'

Goleiro ficou ainda mais em evidência após a vitória da Roma sobre o Barcelona

Relacionadas

O goleiro brasileiro Alisson ficou ainda mais em evidência após a vitória da Roma por 3 a 0 sobre o Barcelona nesta terça-feira. O clube italiano garantiu vaga nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa e o jogador foi um dos destaques ao receber diversos elogios dos torcedores.

+ Barcelona sente falta dos pênaltis que Neymar sofria, diz jornal

+ 'Não entendo por que estão reclamando do pênalti', diz Cristiano Ronaldo

+ Real Madrid é comparado com o Corinthians após pênalti e classificação

Após o jogo, Alisson afirmou que viu o clube catalão "sofrer" em campo. "Dentro da partida existem muitas variáveis. Agora que as coisas aconteceram, é muito fácil falar que foi planejado. Podemos planejar mil vezes que não vai acontecer de novo. Vi o quanto a gente fez o Barcelona sofrer nessa partida", disse o goleiro, em entrevista ao SporTV. "Não conseguiram sair jogando de maneira nenhuma. Voltavam a bola no Ter Stegen, e ele tinha que dar chutão. E a gente conseguiu fazer o que a gente sempre faz. Além de me preparar no treinamento todos os dias, eu também orei, pedi para Deus abençoar para a gente poder jogar nossa honra e, se fosse possível, buscar a classificação", completou.

Falando sobre o seu lugar na seleção brasileira,  Alisson relembra quando substituiu Jefferson ainda no sob o comando de Dunga e ressalta que não vestiu a camisa da equipe "por ser bonito". "Naquele momento a seleção no geral era questionada, mas eu digo que sempre acredito no meu trabalho. Sempre achei que a maioria das críticas eram até certo ponto injustas naquele momento que estava jogando no Internacional. Cheguei ali por merecimento. Nos treinamentos me dedicava muito. Se estava jogando é porque o Dunga acreditava em mim. Não comecei a jogar porque era bonito, porque ele gostava de mim, porque o Taffarel gostava de mim", disse.

"Veio a eliminação na Copa América Centenário e foi um momento difícil. Tite me deu continuidade. Acredito que sempre mostrei que tinha condições. Era questionado por que não era exigido e era reserva no clube. Mas a maioria das pessoas não vê que tem um entorno", completou. 

MAIS SOBRE:

FutebolAlissonRoma [Associazione Sportiva Roma]
Comentários