Andrés contraria veto a treinos abertos e afirma: 'nós vamos fazer'

Presidente afirmou que fora do estádio a responsabilidade é do poder público

Relacionadas

Apesar de a Polícia Militar e do Ministério Público se posicionarem contra os treinos abertos no mesmo dia, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, promete manter a atividade no próximo sábado, dia 7. A véspera do confronto pela final do Campeonato Paulista é também a data escolhida pela equipe palmeirense para realizar a atividade preparatória. 

Neto mostra pôster de Palmeiras campeão e Moisés critica atitude

Reação de Borja durante briga no duelo contra o Corinthians vira meme

Raio-X: os detalhes da briga entre os jogadores do Corinthians e do Palmeiras

Em entrevista ao site UOL Esporte, Andrés insistiu que a segurança no estádio será feita por conta do clube e que, fora dele, a responsabilidade é do poder público. "Mudar o treino seria a falência total do Estado. Nós vamos fazer", afirmou. Sanchez também citou que a equipe já fez outros treinos abertos e nunca pediram policiamento. "A polícia tem mais o que fazer do que acompanhar um simples treino. Não chamamos e nem chamaremos", acrescentou o presidente.

Segundo ele, transferir o treinamento aberto em Itaquera para sexta-feira não seria positivo, já que parte do público interessado trabalha em dia útil. Ainda, o presidente aproveitou a oportunidade para comparar o apoio das torcidas na primeira partida da final, em que o Palmeiras venceu o Corinthians por 1 a 0 na Arena Corinthians. "Nossa torcida só terá o treino de sábado para levar apoio ao time. Sábado passado, antes do primeiro jogo, não fizemos treino aberto e a torcida do Palmeiras apoiou seu time no CT".

Promotor do Ministério Público, Paulo Castilho disse em entrevista ao canal SporTV que os clubes e seus dirigentes podem ser responsabilizados caso mantenham os treinamentos abertos para o sábado. "É uma determinação, uma recomendação da PM e do MP, que não têm condições de fazer este evento garantindo a segurança do cidadão. Casos eles insistam, vão ter que arcar com a responsabilidade cível e criminal", argumentou.

MAIS SOBRE:

FutebolAndrés SanchezCampeonato PaulistaPalmeirasCorinthiansArena Corinthians
Comentários