Andrés Sánchez: 'Posso pagar um milhão para o jogador, mas não quero'

Presidente explica teto de gastos e política de contratações do Corinthians

Relacionadas

O presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, concedeu entrevista ao programa 'O Grande Círculo', do SporTV, e comentou sobre diversos assuntos. Em determinado momento, uma fala do dirigente sobre os desmanches no Corinthians chamou a atenção nas redes.

"Eu trabalho no Corinthians, ganho 400 mil aqui, aí vão me oferecer 1 milhão e meio e eu vou ficar porque o Corinthians é bonito?", justificou Andrés sobre a opção de atletas como Balbuena e Romero, que pediram multas baixas no salário para saírem do clube quando chegassem propostas.

Questionado sobre os salários de mais de R$ um milhão, Andrés foi taxativo. "É inconsequente. Mas tem três times pagando", afirmou. "É impossível. Eu posso pagar 1 milhão para o jogador, eu não quero pagar. O teto do Corinthians é o Fagner e o Cássio. Ninguém ganha mais do que eles", completou posteriormente.

"Eu tenho conforto, só não quero fazer. Não me garante que eu vou ganhar tendo os melhores, você me garante? Eu posso pagar 1 milhão, 1 milhão e meio para quatro jogadores, para dez, não dá. O Corinthians pode pagar, eu não quero. Poderia comprar Tardelli, Gabigol. A minha política sempre foi contratar o jogadores pagando o mínimo possível", explicou sobre as contratações do Corinthians.

Em outro momento, Andrés disse ainda que hoje não tem relação com o ex-presidente Lula, citando que ele está preso.

MAIS SOBRE:

futebolCorinthiansAndrés Sanchez
Comentários