Ex-namorada detona Emerson Sheik e diz: 'Quando se assumir gay, será feliz'

Jogador chegou a revelar durante entrevista que manteve dois relacionamentos ao mesmo tempo

Relacionadas

Depois de o jogador Emerson Sheik revelar detalhes sobre o seu relacionamento amoroso com Antonia Fontenelle durante entrevista ao canal de YouTube "Resenha Delas", da Rede Snack, na última quinta-feira, a apresentadora resolveu rebater as afirmações do atleta do Corinthians.

Sheik havia declarado que ficava com Antonia Fontenelle e a atriz e modelo Nicole Bahls na mesma época. "Isso foi um ponto negativo na minha vida. As pessoas que não me conhecem pensam 'que pilantra'. Tá bom, não sou santo, né gente. Mas eu pegava sim as duas na época, mas também não tinha nada sério com elas. Elas tinham a vida delas e eu não tinha compromisso sério com nenhuma. Quando a agenda batia a gente ficava, saía e conversava. A verdade é que não era nada sério, teve um sentimento de carinho, de gostar e estar perto um do outro", disse o jogador.

Como resposta, Antonia Fontenelle detonou o jogador do Corinthians em um áudio divulgado durante o programa "A Hora da Venenosa", da TV Record, apresentado por Fabíola Reipert. "Eu conheci esse rapaz em 5 de novembro de 2014 e eu terminei com ele em março de 2015. Foram 4 meses muito tumultuados na minha vida, 4 meses de muita exposição desnecessária. Ele me apresentou aos filhos, à família, à mãe, à irmã, peguei uma amizade com a família dele", conta.

"Com o passar do tempo, eu consegui ver quem era esse rapaz. Ele se relacionava com várias mulheres ao mesmo tempo. Mas eu vou além, Fabíola, a culpa não é dele, é minha. Minha mãe sempre me dizia que quem se mistura com porcos, farelo come e esse é um caso nítido que eu me dei muito mal por ter me envolvido com esse rapaz. No dia que o Emerson Sheik se assumir gay, ele vai ser muito mais feliz. Acho que tá faltando isso, que daí ele vai se entender melhor como pessoa", completa a apresentadora.

CARREIRA

Durante a entrevista, Sheik confirmou que vai anunciar sua aposentadoria no fim do ano. "Eu aposento, porque entendo que foram 20 e poucos anos de carreira, de dedicação, afinco, onde eu construí uma história linda, não só dentro de campo, mas fora também. Fiz vários amigos e agora é o momento de outros, eu já tenho 40 anos, corpinho de 23, 24 (risos). Eu tenho um biótipo que ajuda muito, mas agora é o momento de outros atletas".

O jogador pretende se aposentar em um jogo beneficente. "Na verdade é um sonho de criança porque vim de um lugar muito simples e há muitos anos coloquei na cabeça que se a minha carreira desse certo e eu conseguisse alcançar, faria algo que pudesse ajudar quem de fato precisa, como um dia precisei e não tinha muita gente para ajudar", revela.

 

MAIS SOBRE:

FutebolEmerson SheikAntônia Fontenelle
Comentários