Anúncio de canal argentino para Copa citando Putin e homofobia gera polêmica

Propaganda ironiza o incômodo do presidente da Rússia diante de possíveis demonstrações de afeto entre homens

Relacionadas

A nova propaganda do canal argentino TyC Sports para a Copa do Mundo gerou polêmica, nesta quinta-feira, ao ironizar o incômodo do presidente da Rússia, Vladimir Putin, diante de possíveis demonstrações de afeto entre homens durante o torneio.

+ O dia em que Putin jogou hóquei, fez cinco gols e proporcinou 10 ótimas fotos

+ No aniversário da Arena, Romero marca e recebe o carinho da torcida

+ Pentacampeão Cafu participará de troca de figurinhas da Copa com fãs 

"Senhor presidente da Rússia, ficamos sabendo que seu país não admite manifestações de amor entre homens. Portanto, temos um problema", anuncia a voz no início da propaganda, que mostra cenas de jogadores se abraçando e trocando beijos durante as comemorações.

"Viemos de um lugar onde é comum ver um homem chorar na frente de outros. Talvez o senhor se espante ao ver um homem agachado diante de outro, mas para nós é normal", continua a locução, enquanto aparece a imagem de um torcedor ajoelhado na frente de Lionel Messi, fazendo uma reverência.

A propaganda continua com cenas de demonstrações de carinho entre torcedores e jogadores, e reproduz ainda a imagem de um jogador do River Plate, que disputou uma partida com o calção manchado de sangue, devido a um problema de hemorroidas.

"Talvez para homens duros como o senhor seja difícil entender alguns gestos de amor. Senhor Putin, se para você o amor entre homens é uma doença, nós estamos muito doentes. E quer saber? É contagiosa", continua a propaganda com a imagem de um Putin sério.

O anúncio tornou-se viral em poucas horas, mas recebeu fortes críticas do público e de instituições pelas redes sociais. 

"Senhor TyC Sports: ficamos sabendo que no seu canal banalizam a gravíssima situação da população LGBT na Rússia e reproduzem estereótipos que estigmatizam essa população. Temos um problema! E não é divertido", publicou no Twitter a "Fundación Huésped", uma ONG argentina que trabalha para combater doenças sexualmente transmissíveis.

"Se as agências de publicidade @McCannBA e os canais responsáveis @TyCSports não incluírem a perspectiva de gênero e diversidade em todas as suas atividades, vão continuar cometendo erros violentos e retrógrados como o comercial para a Copa. Se informem", escreveu a associação feminista "Red de Mujeres", que luta contra a violência de gêneros.

O "TyCSports" já tinha causado polêmica antes, com uma propaganda sobre a edição de centenário da Copa América, realizada em 2016, nos Estados Unidos. Na peça publicitária, foram exibidas imagens de sul-americanos viajando para apoiar suas seleções em contraste com um discurso do presidente Donald Trump contra a imigração./ EFE

MAIS SOBRE:

FutebolVladimir PutinCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]
Comentários