Após desmaiar, capitão briga com colegas e médicos para continuar no jogo

'Pelo amor de Deus, doutor, deixa eu jogar, eu preciso ganhar, insistia Samuel Santos, do Botafogo de Ribeirão

Relacionadas

Em último lugar no grupo A do Paulistão, o Botafogo de Ribeirão Preto se encaminhava para garantir três pontos ao enfrentar a Ponte Preta em casa nessa quarta-feira, 15. No segundo tempo, contudo, ele enfrentou uma virada do time de Campinas, que marcou dois gols em um intervalo de seis minutos. 

Sob tensão, o capitão do Botafogo, Samuel Santos, se chocou com o zagueiro Yago na disputa por uma bola área. Após a cabeçada, desmaiou por alguns segundos, caindo de bruços no gramado. Rapidamente, os colegas de equipe viraram o atleta e, nervosos, chegaram a se despir para abaná-lo com as camisas.

Ao ser atendido, Samuel começou a discutir com a equipe médica, que tentava convencê-lo a ir ao hospital. Muito nervoso, ele insistia para voltar para a partida. "Doutor, deixa eu te falar, não teve nada. Foi só um segundo. Pelo amor de Deus, doutor, deixa eu jogar, eu preciso ganhar o jogo, doutor", argumentava, como mostrou o canal Premiere.

Como o time já tinha feito as três substituições, Samuel repetia que queria retornar, mas foi convencido por colegas. "Vai no médico. A gente vai matar o jogo", ouviu de um deles. O capitão foi, então, imobilizado, colocado em uma maca e levado para fazer exames em um hospital, recebendo aplausos dos cerca de cinco mil torcedores que assistiam ao jogo.

Na coletiva de imprensa, o treinador Moacir Júnior minimizou a derrota e fez uma comparação para se justificar. "Paulistão é igual Champions League se você pega um vacilo. A gente teve um segundo de desatenção, tomamos o gol e daí fica ruim de tirar" , explicou.

MAIS SOBRE:

FutebolCampeonato PaulistaBotafogo de Ribeirão PretoPonte Preta
Comentários