Após disputa judicial, filho de Eurico Miranda pede desculpas a Edmundo

Eurico Ângelo Miranda acusou jogador de duplo homicídio e agiotagem durante eleições no Vasco em 2017

Relacionadas

Uma discussão de longa data entre Eurico Ângelo Miranda, filho de Eurico Miranda, e o ex-jogador e comentarista Edmundo teve seu capítulo final na manhã deste domingo. O filho do ex-presidente do Vasco teve de pedir desculpas ao ídolo do clube após acusá-lo de homicídio (em um acidente de trânsito) e agiotagem.

"Eu, Eurico Brandão Miranda, em razão de acordo celebrado no 9º JECRIM, peço desculpas a Edmundo Alves de Souza Neto, visto que minhas postagens referentes a ele foram inverídicas. Edmundo é uma pessoa íntegra e de conduta ilibada. Comprometo-me a não mais realizar postagens, insinuações e comentários caluniosos ou difamatórios sobre Edmundo. Desconheço fatos que desabonem sua honra e imagem. Reconheço que meus comentários não correspondem à realidade. Retrato-me", postou 'Euriquinho' no twitter.

A troca de farpas entre os dois começou durante as eleições de 2017 no Vasco. Edmundo se posicionou ao lado da chapa de Júlio Brant, rival de Eurico Miranda, e acusou o grupo do ex-presidente de pagar mensalidades de sócios como forma de compra de votos. 

Eurico Ângelo reagiu através de um vídeo no facebook, em que fez diversas acusações ao ex-jogador. "Engraçado ver o grande jogador de futebol Edmundo repetindo por diversas vezes o nome do Ministério Público. Gostaria de dizer que confio muito neste órgão e espero que ele consiga êxito na ação que tramita no STF e busca a prisão de quem foi condenado a mais de quatro anos de cadeia por duplo homicídio. Espero também que ele investigue a grande operação de agiotagem que envolve uma das maiores casas noturnas do Rio de Janeiro e me coloco à disposição para dar informações", afirmou.

'Euriquinho' relembrou um caso ocorrido em 1999, quando Edmundo se envolveu em um acidente de carro que vitimou três pessoas. O jogador foi indiciado e condenado a quatro anos e três meses de prisão, mas recorreu e obteve um habeas corpus para responder em liberdade. A ação contra ele, no entanto, foi extinta em 2011 pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa.

No final, Eurico Miranda 'pai' teve mais votos na eleição de 2017 no Vasco, mas irregularidades  encontradas na lista de seus eleitores o impediram de assumir a presidência. Alexandre Campello, então, ocupou o cargo. Eurico Miranda morreu em 12 de março de 2019, mas seu filho continua sendo uma voz importante na política vascaína.

MAIS SOBRE:

futebolEdmundoVascoEurico Miranda
Comentários