Após epopeia, técnico do Tucumán cita 'coisas raras'; veja reações no Twitter

Pablo Lavallén criticou postura das autoridades no aeroporto de Guayaquil durante atraso

Relacionadas

Tinha tudo para dar errado: problemas no aeroporto em Guayaquil, uniformes e chuteiras emprestada pela seleção argentina sub-20, sem médico no banco de reservas e partida começando com uma hora e meia de atraso. Apesar de tudo, o Atlético Tucumán conseguiu se classificar para a terceira fase classificatória da Copa Libertadores, ao vencer o El Nacional, do Equador, por 1 a 0. 

Apesar da festa e emoção dos jogadores pela classificação heroica, o técnico do Tucumán, Pablo Lavallén, não se mostrou nem um pouco feliz com a situação. "Foi muito ruim. Não sabíamos o que se passava. Ficamos esperando mais de uma hora sem ar condicionado. Ficamos mais um tempo na pista e disseram que teríamos que trocar de avião. A empresa tinha que ter uma permissão para voar. Algo estranho aconteceu, não me pergunte o quê. Tivemos que subir em um avião de carreira e não pudemos trazer as camisas. Aconteceram muitas coisas raras. Esse tipo de coisa não pode acontecer na Libertadores."

Questionado sobre o que seriam essas "coisas raras", Lavellén não quis citar uma especificamente. "Que fique bem claro. Nenhuma autoridade do aeroporto de Guaiaquil veio e disse que não poderíamos sair por isso. E nós tivemos que comprar passagens de um voo comercial. Caso contrário, estaríamos todos em Guaiaquil, eliminados da Libertadores."

Confira a seguir algumas reações no Twitter sobre a classificação do Atlético Tucumán.

 

 

MAIS SOBRE:

futebolcopa libertadoresatletico tucuman
Comentários