Após impugnação de candidatura, sócia da Crefisa ameaça processar Nobre

Ao final de seu mandato, ex-presidente do Palmeiras impediu que Leila Pereira se candidatasse à presidência do conselho

Relacionadas

Antes de passar a presidência do Palmeiras a Maurício Galiotte, Paulo Nobre publicou uma resolução que impede Leila Pereira, sócia da Crefisa, de se candidatar ao conselho do Palmeiras, em fevereiro. Segundo o Blog do PVC, do jornalista Paulo Vinícius Coelho, no portal UOL, o entrave é Leila não seria sócio atuante do clube há pelo menos oito anos, o que a impede de concorrer ao cargo. 

Em entrevista ao Blog do Ohata, do jornalista Eduardo Ohata, no mesmo UOL, Leila atacou Paulo Nobre e expôs a má relação que o ex-presidente do Palmeiras cultivava com a patrocinadora. "Ele é um covarde. Lancei minha candidatura há cinco meses e ele nunca falou nada. Agora, no apagar das luzes de seu mandato, ele faz isso?" E ainda ameaçou: "Isso é difamação, se ele não parar com isso, vou processá-lo". 

Ao GloboEsporte.com, Leila disse acreditar que ação de Nobre seja para desestabilizar o relacionamento da Crefisa com Galiotte. "Acho que isso seja para prejudicar o mandato do Maurício, para criar mais uma vez problemas com o patrocinador do clube, forçar a saída do patrocinador, deixar o Maurício com uma mão na frente e outra atrás, como ele próprio estava antes de entrarmos no clube. Mas acredito que o Maurício esteja tão chocado quanto eu e que vai ter o bom senso de acabar com todo esse mal-entendido."

MAIS SOBRE:

futebolPalmeiras
Comentários