Árbitro da final da Copa de 1990 detona a postura de Maradona

Mexicano diz que jogador argentino 'foi desprezível' e relembra que ele pronunciou palavrões durante hino nacional

Relacionadas

O mexicano Edgardo Codesal Méndez, árbitro da final da Copa do Mundo de 1990, afirmou que teria expulsado Diego Maradona antes do início da partida entre Argentina e Alemanha Ocidental, em Roma. De acordo com o ex-árbitro, o craque argentino disse palavrões durante a execução do hino nacional em resposta às vaias da torcida. Pela postura de indisciplina, o camisa 10 poderia ter sido expulso.

“Sempre admirei o Maradona como jogador de futebol, mas como pessoa ele está entre as piores que eu conheci. Se eu tivesse aplicado o regulamento, teria que expulsá-lo antes do jogo pelo insulto que ele dirigiu a todo o estádio", revelou, em entrevista à rádio uruguaia 1010.

Codesal enfatizou o respeito que tinha pelo craque argentino, mas disse que, ao mesmo tempo, o considerava uma pessoa desprezível. "Eu poderia mandá-lo embora mesmo após a expulsão de Monzón, ele disse que era um assalto feito pela Fifa. Ele era um líder total em campo, tinha grande personalidade e eu sempre tive respeito e admiração pelo jogador de futebol que ele era, mas como pessoa eu o considerava desprezível", acrescentou.

A Argentina perdeu a decisão por 1 a 0, com um gol de pênalti do lateral-esquerdo Brehme, aos 40 minutos do segundo tempo. Mas 20 minutos antes o zagueiro Monzon, citado por Codesal, foi expulso. Ao final da partida, ainda sobrou mais um cartão vermelho para os argentinos, para o atacante Dezotti.

MAIS SOBRE:

futebolCopa do Mundo Itália 1990 [futebol]Maradonaseleção argentina masculina de futebol
Comentários