Juiz da Liga dos Campeões se explica após ser preso em casa de prostituição

Slavko Vincic afirma que apenas aceitou um convite para um almoço de negócios e estava no local errado na hora errada

Relacionadas

O árbitro esloveno Slavko Vincic, que já apitou diversas partidas da Liga dos Campeões nesta temporada, foi preso na última quinta-feira na Bósnia e Herzegovina durante uma batida policial em uma festa onde ocorriam consumo de drogas e prostituição. Após ser liberado pela polícia bósnia, o juiz afirmou que apenas aceitou um convite para almoçar no local.

"Eu me encontrei no local por acaso. Eu tenho minha própria empresa, estava na Bósnia para um encontro de negócios. Eu aceitei um convite para almoçar, o que acabou sendo meu grande erro. Eu me arrependo disso. Estava sentado na mesa com a minha companhia, e de repente a polícia veio e o que aconteceu, aconteceu", justificou-se Vincic.

"Não tenho nada a ver com o grupo que foi preso e detido, nem tem os meus colegas de negócios. Sim, eles realmente nos levaram para a delegacia, como testemunhas. Quando notaram que nós nem conhecíamos os alvos daquilo, fomos liberados para ir embora", defendeu-se o árbitro.

Slavko Vincic foi levado para a delegacia em companhia de Tijana Maksimovic, que a polícia bósnia acredita ser a líder de um esquema de prostituição. No local estavam presentes nove mulheres e 26 homens, e foram apreendidos armas, dinheiro e drogas.

O presidente da Associação Eslovena de árbitros, Vlado Sajn, defendeu Vincic e afirmou que o ocorrido foi apenas o fruto dele estar no local errado na hora errada. Assim, a nível doméstico, o juiz não deve ser punido.

Na Liga dos Campeões 2019-20 , Vincic apitou três partidas, incluindo jogos de Genk x Liverpool e Shakhtar Donetsk x Manchester City. Também conduziu a partida entre Porto e Bayer Levekusen pela Liga Europa.

MAIS SOBRE:

futebolLiga dos Campeõesprostituição
Comentários