Atacante chileno sofre furto de quase R$ 6 milhões em joias e relógios

Mauricio Pinilla ficou muito marcado por perder um gol contra o Brasil na Copa do Mundo

Relacionadas

O atacante chileno Mauricio Pinilla, ex-Vasco e atualmente do Genoa, denunciou nesta segunda-feira o roubo de joias, relógios e outros objetos de valor avaliados em US$ 1,8 milhões, quase R$ 6 milhões, que estavam em seu apartamento em Santiago, capital do país. O roubo ocorreu durante a derrota do Chile para a Alemanha, por 1 a 0, na decisão da Copa das Confederações. O imóvel estava vazio na hora da invasão dos criminosos.

Em entrevistas à imprensa local, Pinilla disse que os autores do crime pareciam ter informações privilegiadas porque entraram sem dificuldades em seu condomínio e também em seu apartamento. Dentro do imóvel, eles foram diretamente para o quarto principal, onde Pinilla mantinha um cofre, aberto pelos assaltantes. No local estavam guardados joias, uma coleção de relógios e outros objetos valiosos comprados pelo jogador ao longo da carreira.

"Estamos tristes. Levaram quase 1,2 bilhões de pesos (US$ 1,8 milhões), todas nossas joias, tudo o que juntamos em 14 anos no exterior", disse Pinilla, de 33 anos, aos jornalistas.

As câmeras de segurança do condomínio registraram a entrada de duas pessoas no local às 14h, quando começava a decisão da Copa das Confederações, disse a esposa do jogador. "Eles entraram com algumas bolsas e foram caminhando", explicou.

Pinilla está negociando para retornar ao Universidad de Chile, clube pelo qual iniciou a carreira. O jogador ficou famoso no Brasil na Copa do Mundo de 2014, ao acertar uma bola no travessão contra a seleção de Felipão nas oitavas de final. A partida estava empatada em 1 a 1, no segundo tempo da prorrogação. Caso tivesse acertado o alvo, o atacante poderia ter sido o responsável pela eliminação do Brasil.

MAIS SOBRE:

FutebolCopa das ConfederaçõesChileCrimeFutebol
Comentários