Atacante da Chape é expulso por 'dedada' em zagueiro do Nacional-URU

Atitude inusitada de Rossi foi punida com falta e segundo cartão amarelo

Relacionadas

Nesta quinta-feira, a Chapecoense foi a Montevidéu e perdeu por 3 a 0 para o Nacional, pela quarta rodada do grupo 7 da Copa Libertadores. A Chape terminou a partida com dois jogadores a menos após devido às expulsões de Luiz Otávio e Rossi, esta última de maneira inusitada. 

Aos 39 minutos do segundo tempo, e com o placar já definido, o atacante do time catarinense colocou a mão na bunda do zagueiro Polenta, a famosa "dedada". Pelo lance, o árbitro paraguaio Eber Aquino marcou a falta e expulsou Rossi após apresentá-lo o segundo cartão amarelo. O primeiro, por sinal, havia sido apresentado pela reclamação do outro vermelho da Chape, quando Luiz Otávio acertou o peito de Rodrigo Aguirre, aos oito minutos da segunda etapa. 

 

 

A Chapecoense é a terceira colocada do grupo 7, com quatro pontos. Já o Nacional é o segundo colocado, com sete pontos, mesmo número do Lanús, mas fica atrás pelo número de gols feitos, cinco contra nove.

O lance é parecido com o feito por Gonzalo Jara em Edinson Cavani, na vitória por 1 a 0 do Chile sobre o Uruguai, nas quartas de final da Copa América de 2015. À ocasião, o atacante uruguaio foi expulso pelo árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci por reagir com um tapa na cara do chileno. Dias depois, Jara foi multado em US$ 7,5 mil (R$ 23,8 mil) e suspenso por três partidas pela Conmebol, ficando de fora do restante da competição disputada no Chile. O defensor também foi muito criticado pela diretoria do Mainz, clube alemão que defendia desde 2014 e que rescindiu contrato em janeiro de 2016. 

MAIS SOBRE:

futebolnacionalChapecoense
Comentários