Atacante do Monaco é condenado a pagar R$ 38 milhões por fraude fiscal

Radamel Falcao recebeu multa por dois crimes de fraude fiscal

Relacionadas

O atacante Radamel Falcao, atualmente no Monaco, entrou em conformidade com o Ministério Público espanhol nesta quarta-feira e pagará 9 milhões de euros, cerca de R$ 38 milhões, de multa por dois crimes de fraude fiscal cometidos em 2012 e 2013.

+ Allianz Parque e Camp Nou serão estádios exclusivos do PES 2019

+ Relembre as músicas oficiais das Copas do Mundo de 1990 a 2014

+ Rumo ao Japão: Iniesta posta foto em avião com dono de novo clube 

Fontes ligadas ao processo informaram à Agência EFE que a Audiência Provincial de Madri realizou hoje o julgamento do atacante colombiano por mera formalidade, depois que os advogados de Falcao chegaram a um acordo com o MP.

Dessa forma, o jogador aceitou uma condenação de 16 meses de multa a 100 euros (R$ 424) diários por dois delitos que somam 96 mil euros (R$ 407 mil), substitutiva da pena de prisão. 

Segundo a denúncia do Ministério Público, apresentada em abril do ano passado, Falcao defraudou 5,66 milhões de euros (R$ 24 milhões) em 2012 e 2013, quando jogava pelo Atlético de Madrid. O centroavante foi acusado de omitir dinheiro recebido tanto do clube quanto da seleção colombiana. 

Segundo o MP, o jogador criou uma estrutura societária com o único fim de ocultar da Fazenda espanhola os valores oriundos de seus direitos de imagem de 2012 e 2013, o que também não foi apresentado na declaração de titularidade de bens no exterior.

As sociedades criadas por ele, a Business Tiger (com domicílio na Colômbia) e Fardey Overseas (nas Ilhas Virgens), obtiveram nos dois anos uma receita de 5.661.862 euros (R$ 24.042.759), que deveria ter sido tributada na Espanha, dado que durante todo o ano de 2013 Falcao manteve a sua residência fiscal em Pozuelo, perto de Madri./ EFE 

MAIS SOBRE:

FutebolMonaco [Association Sportive de Monaco Football Club]Radamel Falcaofutebolsonegação fiscal
Comentários