Atacante lembra de festa interminável de Ronaldinho e reclamação do segurança

Lukian ficou dois dias em comemoração com R10 e Jô

Relacionadas

Ronaldinho Gaúcho é muito conhecido por dar festas intermináveis, tanto em sua casa como em boates. Em entrevista ao ESPN.com.br, o atacante Lukian, atualmente no Busan I'Park, da Coreia do Sul, conta como foi participar de uma dessas festas, que durou cerca de dois dias. 

O jogador foi para a festa por conhecer um grupo de pagode muito amigo dos boleiros. "Rapaz, boleiro quanto te chama pra um esquema não quer que você vá embora enquanto a festa não acabar. Foi uma loucura." A comemoração começou em uma pelada com o atacante Jô, então do Manchester City, que o convidou para ir à sua casa, onde a festa já tinha começado sem ele. 

"Quando nós chegamos, ele ainda nem estava em casa, mas o lugar já estava lotado com os amigos dele (risos). Ficamos por lá e vimos que o pessoal estava se arrumando pra alguma coisa depois. Deu meia noite e acabou a bateria do meu celular, eu querendo ir embora. Quando estava quase indo, meia noite e pouco o Jô chamou todo mundo pra uma balada, porque ele tinha fechado um camarote dos bons", conta Lukian. 

 

 

Feliz aniversário meu sobrinho querido @assisdiego94 ! Te desejo muita saúde e sucesso que tu merece! Aproveita hoje meu parceiro!! Tmj

Uma foto publicada por Ronaldo de Assis Moreira (@ronaldinhooficial) em

 

Na casa noturna, o grupo ficou até 5h e, quando a festa parecia acabar, eles encontraram Ronaldinho Gaúcho, que à época jogava no Flamengo. Enquanto esperava para sair da boate e seguir para a casa do R10, Lukian conversou com um dos seguranças dos jogadores. 

Entre risadas, Lukian lembra que o segurança "estava um 'caco', virou pra mim e falou: 'Vocês acham que eu estou aqui desde 22h de ontem? Que nada! Eu estou aqui faz dois dias e essa festa não acaba! Entra gente, sai gente, não termina nunca. Eu tenho família, rapaz, esse cara não cansa. Ele sai para treinar e a galera continua na festa, ele volta e a festa não termina. Esse cara não me libera. Eu quero voltar pra casa, pelo amor de Deus'". 

"Depois, quando voltei pra minha casa, minha mãe já tinha até chamado a polícia, pensando que eu tinha sumido, porque ela ficava me ligando e a bateria do meu celular tinha acabado ainda na festa do Jô, antes da do Ronaldinho", completa o jogador. 

O relato completo de Lukian sobre a festa na casa de Ronaldinho e até uma conversa que teve com Adriano Imperador pode ser lido no ESPN.com.br

MAIS SOBRE:

futebolRonaldinho Gaúcho
Comentários