Grito homofóbico citando Bolsonaro pode render punição ao Atlético-MG

Atleticanos provocaram a torcida rival com o canto: 'Cruzeirense, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar v...'

Relacionadas

A partida entre Atlético-MG e Cruzeiro, domingo, pelo Campeonato Brasileiro teve cenas provocativas nas arquibancadas do Mineirão. Os atleticanos usaram gritos homofóbicos citando o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Durante o jogo, que acabou empatado sem gols, era possível ouvir o canto dos atleticanos: "Cruzeirense, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar v...". Confira o vídeo:

A ação pode gerar punição ao clube alvinegro de Minas Gerais, que era o mandante do jogo. Segundo a Procuradoria-Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva(STJD), o fato não vai passar em branco e o órgão aguarda imagens e a súmula da partida para realizar uma possível denúncia.

Vale lembrar que o artigo do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) ainda não estabelece punições para ações que envolvam homofobia no futebol. Porém, caso a denúncia seja feita, o Atlético-MG deve responder pela conduta de seus torcedores.

O clube chegou a se manifestar sobre o caso em nota oficial após a partida. "O CAM (Clube Atlético Mineiro) lamenta profundamente as manifestações homofóbicas de parte dos seus torcedores, no jogo deste domingo, no Mineirão. Reiteramos nosso repúdio a quaisquer gestos de preconceito ou de incitação à violência. A maior torcida de Minas é composta por pessoas de todas as classes sociais, raças e gêneros, não cabendo qualquer tipo de discriminação. Isso não faz parte da nossa gloriosa história", escreveu. O Cruzeiro ainda não se manifestou.

 

MAIS SOBRE:

FutebolCruzeiro Esporte ClubeAtlético MineiroCampeonato Brasileiro de Futebol
Comentários