Ausência de CR7 repercute na imprensa croata: 'não suporta sair de mãos vazias'

Português não apareceu na festa que elegeu Modric o melhor jogador do mundo

Relacionadas

Pela primeira vez desde 2007, o prêmio de melhor jogador do mundo da Fifa não foi dado a Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo. O responsável por interromper a longa hegemonia da dupla e faturar o troféu da temporada 2017-2018 foi o croata Luka Modric.

Modric deixou para trás os outros dois finalistas, Mohamed Salah e Cristiano Ronaldo. Salah compareceu à cerimônia e até ganhou o prêmio de gol mais bonito da temporada, o Puskas. Já CR7 sequer apareceu na festa, o que lhe rendeu inúmeras críticas na imprensa croata.

"O ego de Cristiano é maior que sua classe no futebol. Ele sempre quer dizer: 'Não existe ninguém melhor que eu'. Mas sim, existe esse garoto de Zadar que superou ele este ano", escreveu o jornal Sportske Novosti.

"Quando Cristiano não é o melhor, ele não vem à cerimônia de premiação, ele não está disposto a apoiar o outro, muito menos parabenizá-lo", acrescentou. Outro jornal croata, 24Sata, também criticou a atitude do camisa 7: "Ele não foi porque ele não suporta sair de mãos vazias", afirmou.

"Modric não recebeu o reconhecimento de Cristiano Ronaldo, mas Pelé e o verdadeiro Ronaldo (o brasileiro) estiveram entre os primeiros a parabenizá-lo", alfinetou o portal Index.hr.

Na Itália, onde o atacante está atuando pela Juventus, o discurso foi parecido. "Talvez ele soubesse que não ia ganhar ou talvez fosse apenas intuição: ele não veio a Londres porque não suportava a ideia de ser apenas o papel de parede", analisou o La Repubblica.

O croata foi fundamental na campanha de mais um título da Liga dos Campeões pelo Real Madrid, seu quarto pelo clube, mas, principalmente, levou seu país a uma campanha histórica na Copa do Mundo da Rússia: chegou à final pela 1.ª vez e só não levantou o troféu porque perdeu para os franceses.

 

MAIS SOBRE:

FutebolCristiano RonaldoFifa [Federação Internacional de Futebol]futebol
Comentários