Bombas, tumulto e feridos: Final da Taça Guanabara é marcada por confusões

Conflitos entre torcedores e policiais foram registrados nas redes sociais; veja imagens

Relacionadas

A final da Taça Guanabara, disputada entre Vasco e Fluminense, neste domingo, no Maracanã, ficou marcada por confusões nos arredores do estádio. Após o time cruzmaltino ignorar a decisão judicial de realizar a partida com portões fechados, torcedores marcaram presença no local e só conseguiram entrar no jogo aos 30 minutos do primeiro tempo.

Nas redes sociais, os conflitos foram registradas por torcedores. Em um dos vídeos, vascaínos aparecem correndo para tentar fugir das confusões. Confira as imagens: 

A Polícia Militar chegou a divulgar um alerta no Twitter pedindo que os torcedores ficassem em casa, diante da indefinição sobre a disputa judicial. Quando torcedores, inconformados por não conseguirem entrar, derrubaram uma grande de proteção, houve tumulto. Bombas foram detonadas por policiais e algumas pessoas ficaram feridas por estilhaços.

De acordo com a PM, o policiamento foi reforçado no entorno do estádio. O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) também divulgou nota dizendo que o Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor (GAEDEST/MPRJ) defendia o cumprimento da decisão judicial de manter o jogo a portas fechadas.

ENTENDA A CONFUSÃO

A confusão começou pela manhã, quando o Vasco decidiu abrir os portões do estádio, desrespeitando uma decisão judicial proferida horas antes, durante a madrugada, que determinava que a partida fosse disputada sem a presença das torcidas. A desembargadora de plantão Lucia Helena do Passo acolheu um pedido do Fluminense, em meio às discordâncias dos clubes sobre qual setor as suas torcidas ocupariam no estádio. Com o clássico já com 30 minutos do primeiro tempo, a Justiça reconsiderou e autorizou a abertura dos portões.

 

MAIS SOBRE:

futebolVascoFluminense
Comentários