Caçula da 4ª divisão de SP entra com dez, tem jogador expulso e consegue empate

Contra o Jabaquara, Real Cubatense fez sua primeira partida oficial da história em situação inusitada

Relacionadas

No dia do aniversário de Cubatão, o Real Cubatense fez sua primeira partida da história por um torneio oficial e conseguiu um heroico empate em 1 a 1 com o Jabaquara, pela Segunda Divisão do Campeonato Paulista, na manhã deste domingo. O resultado foi dramático porque o time entrou em campo com apenas dez jogadores, sendo que o lateral-direito era Géderson, um dos goleiros reservas da equipe. Para piorar a situação, o zagueiro Caio foi expulso no segundo tempo. 

A situação aconteceu porque o time conseguiu regularizar somente 13 jogadores na competição, sendo três acima dos 23 anos. E, por medo da efetivação ou não da regra da Federação Paulista de Futebol (FPF) que impede a inscrição de jogadores nascidos após 1994, preferiu atuar com somente dez jogadores. 

Mesmo com um jogador a menos, foi o time de Cubatão que abriu o placar, com Jefferson, aos 31 minutos do primeiro tempo. O gol de empate do Jabaquara foi marcado Carlos Eduardo, aos 14 da etapa final. A partida foi realizada no Estádio Espanha, em Santos, e recebeu 589 pagantes, com renda de R$ 8,830.00.

Até o campeonato do ano passado, os times do quarto nível do futebol estadual eram autorizados a utilizar até três jogadores acima dos 23 anos. Porém, no início de fevereiro, a FPF mudou essa regra, autorizando apenas a inscrição de atletas abaixo dessa idade. Em função da nova regra, o Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (Sapesp) entrou com um pedido na Justiça do Trabalho e a decisão da Federação foi anulada pela liminar assinada por uma juíza da 2ª Vara de Campinas, em 30 de março. 

Na última quarta-feira, 5, a FPF, então, pediu que a Justiça do Trabalho anulasse a liminar, argumentando que o bloqueio à inscrição de jogadores acima dos 23 anos foi tomada em conjunto com os clubes participantes do campeonato. 

MAIS SOBRE:

futebolJabaquara
Comentários