Cafu se emociona ao falar da relação com Ancelotti durante doença dos pais

Ex-lateral direito contou com a ajuda do treinador para acompanhar doença e falecimento dos pais no Brasil

Relacionadas

Convidado do primeiro "Resenha ESPN" de 2017, o ex-lateral direito Cafu não conteve a emoção ao contar o relacionamento que teve com o técnico Carlo Ancelotti em seus tempos de Milan. A aproximação aconteceu em um dos períodos mais delicados da vida do jogador, quando perdeu o pai e a mãe para a mesma doença em um pouco espaço de tempo. 

"É f... falar do meu pai e da minha mãe. Eu fui falar com ele (Ancelotti) e disse: 'Mister, estou com um problemão. Estou com meu pai doente. Preciso ir para o Brasil e sei que a gente tem jogo importante'. Ele falou: 'Faz o seguinte, vou falar para a diretoria que você está dispensado e não vou dizer que foi para o Brasil'", contou o capitão do penta. 

"Quando foi com a minha mãe, ela já estava há uns meses com dores e piorou quando eu estava aqui no Brasil antes da pré-temporada. Apresentação era dia 10 e dia 17 tinha jogo da fase classificatória da Liga dos Campeões. Tinha dez dias para treinar e 15 dias antes veio a notícia que minha mãe estava com câncer. Eu liguei e falei: 'Não tenho como ir embora'. Ele falou: 'O que você quer fazer?'. Eu: 'Mister, a gente tem jogo dia 17. Não vou embora. Volto dia 15'. Ele falou que confiava no meu profissionalismo e me liberou. Fui o melhor em campo e dei passe. Depois de seis meses minha mãe faleceu. Ele foi fera. Tenho ele como paizão", completou Cafu. 

Cafu ficou no Milan de 2003 a 2008 e, em toda sua passagem pelo San Siro, foi treinado por Ancelotti, que trabalhou no clube de 2001 a 2009. Juntos, foram campeões da Supercopa da Itália e do Campeonato Italiano, em 2004, e da Liga dos Campeões e do Mundial de Clubes, em 2007. 

MAIS SOBRE:

futebolcafucarlo ancelottiMilan
Comentários