Campeã da Libertadores denuncia que prêmio do título vai ao time masculino

Yoreli Rincón, camisa 10 do Atlético Huila, lamentou a situação em suas redes sociais

Relacionadas

No último domingo, o Santos foi derrotado pelo Atlético Huila na final da Copa Libertadores feminina. A equipe colombiana levou a melhor e se sagrou campeão após converter cinco penalidades, contra as três marcadas pelas "Sereias da Vila". No entanto, na última terça-feira, a camisa 10 do Atlético usou suas redes sociais para fazer uma denúncia.

Yoreli Rincón, um dos destaques do time, comentou que a premiação conquistada pela equipe feminina não chegará às campeãs, mas sim ao time masculino do Atlético Huila. A Conmebol destina ao clube vencedor do torneio continental US$ 55 mil, o equivalente a R$ 211,7 mil. 

"Agradecemos todo o apoio e as boas mensagens que nos deram e o sentimento de orgulho que sentiram por nós. Somos campeãs continentais. Mas não acreditem que darão o prêmio às campeãs femininas. Por sermos campeãs, ganhamos US$ 55 mil, dinheiro que nunca chegará a nós, infelizmente", desabafou em um vídeo postado em seu Twitter.

"Isso chega ao Atlético Huila masculino, equipe que tem um presidente diferente do que nós temos, que é Diego Perdomo", completou. Em entrevista ao Diário Huila, Carlos Barrero, gerente do clube, ressaltou que o Atlético Huila é uma só empresa com dois times profissionais, o feminino e o masculino. 

"Eu não sei qual acordo Diego fez com os jogadoras. A decisão que ele toma, de acordo com o que o presidente disse, será respeitada", afirmou. "Até agora não recebemos nenhum prêmio da Conmebol, mas o Atlético Huila respeita a decisão tomada por Diego Perdomo em relação à premiação das jogadoras", finalizou, sem entrar nos termos do trato. 

 

MAIS SOBRE:

FutebolLibertadores [Copa Libertadores da América]ConmebolfutebolAtlético Huilafutebol feminino
Comentários