Carta de Schweinsteiger 'salvou' vida de juiz de futebol que tentou suicídio

Babak Rafati enfrentou uma grave crise de depressão no final de 2011

Relacionadas

Babak Rafati já foi um dos grandes árbitros do futebol alemão. Além de apitar, em grande maioria, os grandes jogos da Bundesliga, ele fazia parte do quadro de apitadores da Fifa. Isso significa que, com tanta moral, ele só tinha motivos para comemorar, não é? Nada disso! Por causa da pressão e o estresse da profissão, ele tentou se suicidar antes de um jogo entre Colônia e Mainz, em novembro de 2011. Foi encontrado por seus assistentes no hotel, com os punhos cortados. Teve sua vida salva, mas fez com que a partida fosse cancelada.

Depois de dias se recuperando em um hospital, Rafati enfrentou um longo tratamento contra a depressão e nunca mais voltou a apitar profissionalmente. Apesar disso, ele deu a volta por cima e hoje trabalha auxiliando outros membros do futebol alemão a lidarem com a pressão mental que sofrem. Segundo o ex-árbitro, a federação alemã não lhe oferece ajuda, embora dirigentes tenham afirmado que as "portas seguem abertas" para quando o veterano precisasse.

Se a federação não ajuda, teve alguém que ajudou muito: Bastian Schweinsteiger, volante que fez história no Bayern de Munique e que atualmente defende o Manchester United. Segundo Babak Rafati, o jogador, campeão mundial com a Alemanha em 2014, lhe enviou uma carta desejando força para superar a depressão: "Foi um enorme gesto de humanidade. Schweinsteiger escreveu uma carta que me comoveu bastante. Não foi nada calculado, ele sabia que eu nunca mais voltaria a apitar depois do incidente", declarou. "Ele disse: 'Senhor Rafati, você já sofreu muitas quedas em sua vida. Você também precisa levantar muitas vezes. Desejo a você tudo de melhor'. A depressão muitas vezes é um tabu entre os jogadores", completou.

MAIS SOBRE:

FutebolFifaColôniaSchweinsteigerBayern de MuniqueManchester UnitedAlemanhaFutebol
Comentários