Cavani sobre Neymar: 'Não precisamos ser amigos, temos que ser profissionais'

Atacante uruguaio indica que não tem relação pessoal tão próxima com o brasileiro: 'Cada um tem sua vida, seu jeito de ser e agir'

Relacionadas

Na véspera da partida do Paris Saint-Germain contra o Anderlecht, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, Edinson Cavani comentou sobre sua relação com Neymar, em entrevista ao programa "Breaking Foot", da emissora francesa SFR Sport 1. 

Perguntado sobre o desentendimento com o brasileiro antes da cobrança de um pênalti, na vitória por 2 a 0 sobre o Lyon, em 17 de setembro, Cavani disse que "isso é coisa do passado". "Estas são coisas que acontecem no futebol. Devemos encontrar a solução em conjunto e funcionar como equipe", declarou. 

 

 

"Minha cultura de futebol talvez seja diferente de outras. Para mim, coisas que acontecem no vestiário têm de ficar lá. Depois, há pessoas que gostam de falar muito e às vezes inventam coisas que não aconteceram", afirmou, se referindo às alegações de que ele e Neymar quase teriam brigado fisicamente após a discussão sobre o pênalti. 

 

+ Levantamento mostra que Cavani bate pênaltis melhor que Neymar

+ Com Neymar isolado, PSG tentou 'comprar' pênaltis de Cavani, diz jornal

 

E completou, indicando que realmente não é tão próximo de Neymar: "Não precisamos ser todos amigos ou como uma família. O que precisamos é sermos profissionais dentro de campo. E a primeira coisa é respeitar os colegas e dar 100%. Afinal, todos temos nossas vidas, nossos jeitos de agir e de pensar". 

Ponto central do choque com Neymar, Cavani não revelou qual a decisão do técnico Unai Emery acerca do batedor de pênalti oficial da equipe. "Aqui, a coisa mais importante é vencer. Isso significa achar os melhores ingredientes para o time. É uma decisão do treinador. É por isso que temos que encontrar uma solução. Eu acho que o técnico têm de achar uma solução. Para nós, a coisa mais importante é o time. É o técnico quem faz a decisão e nós iremos respeitar." 

 

 

MAIS SOBRE:

futebolEdinson CavaniNeymarParis Saint-Germain
Comentários