Cicinho revela preferência de Adriano por ser 'Didico' do que 'Imperador'

Ex-companheiro de seleção e de Roma diz que astro sempre preferiu sua vida humilde aos holofotes do futebol

Relacionadas

A pausa nas competições esportivas em razão do novo coronavírus tem feito com que as emissoras de televisão transmitam jogos antigos. Com esse sentimento de nostalgia, várias questões são levantadas sobre diversos jogadores dentre os torcedores de diversas idades. Dentre as perguntas, "O que aconteceu com Adriano Imperador?" ganha destaque entre elas.

Em recente entrevista à emissora ESPN, o ex-lateral Cicinho, que foi parceiro de Adriano na seleção brasileira e na Roma, contou que as raízes humildes do ex-centroavante sempre tiveram preferência na vida do então craque. Preferia a vida na Vila Cruzeiro do que o comprometimento e as exigências da carreira como jogador profissional de futebol.

"O que mais me impressionou no Adriano foi o fato de ele achar que era um cara normal. Ele tinha na mente dele que nasceu na Vila Cruzeiro e se tornou o 'Imperador', mas que, na cabeça dele, podia andar descalço na rua que virava o Didico", disse o ex-lateral à ESPN.

"Essa 'capa de Imperador' foi colocada nele pelas pessoas, pela imprensa, pela torcida... Mas ele nunca se sentiu assim", acrescentou o ex-jogador.

Muito se questionou sobre o 'potencial desperdiçado' por Adriano. Após marcantes passagens por Inter de Milão e seleção brasileira, o ex-atacante voltou ao Brasil em 2008, onde jogou emprestado ao São Paulo. Mas foi entre 2009 e 2010 em que defendeu o Flamengo, seu time do coração, com quem foi campeão brasileiro de 2009. Após isso, não conseguiu manter o alto nível e suas contratações sempre foram vistas com o caráter de 'aposta e de 'recuperação da boa fase'.

Pelo time nacional, Adriano foi campeão da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações em 2005, sendo premiado como o melhor jogador das duas competições. Fez parte da tão esperançosa seleção da Copa de 2006, que acabou tropeçando para a França.

"O Adriano prefere estar com os amigos dele, com a família, e longe da badalação. Desde que eu o conheço, é um cara que quer privacidade. Saindo do campo, ele não queria que as pessoas ficassem querendo saber da vida dele ou opinando sobre isso", completou Cicinho.

"Ele não se vê como 'Imperador', mas como 'Adriano da Vila Cruzeiro'. Talvez ele não tenha nem a noção da grandeza do nome dele no Brasil e no exterior", finalizou.

MAIS SOBRE:

futebolAdrianoCicinho [Cícero João de Cézare]Roma [Associazione Sportiva Roma]seleção brasileira masculina de futebol
Comentários