Cinco curiosidades sobre a Rússia, anfitriã da Copa do Mundo

Hóquei no gelo é o esporte rei no país, onde os invernos, longos e congelantes, transformam os lagos em ringues de patinação

Relacionadas

A Copa do Mundo de futebol, evento esportivo mais popular do planeta, começa nesta quinta-feira, na Rússia. Seguem abaixo cinco curiosidades sobre o país, que é manchete de jornais pelo mundo.

+ McDonald's apresenta as crianças que entrarão com a seleção na Copa 

+ Bolt elogia Neymar, mas declara torcida pela Argentina na Copa

+ 'Não façam sexo com estrangeiros na Copa', pede líder de comitê russo

Noite às 14h

Pegar um trem às 14h00 quando já é noite? Isso é possível na Rússia, porque os horários de todas as estações seguem a hora de Moscou, ignorando os onze fusos horários que convivem no maior país do mundo, que se estende do mar Báltico ao Oceano Pacífico, por 17 milhões de km².

Herdeiros dos czares

Na Praça Vermelha, ponto turístico mais visitado de Moscou, as igrejas da época dos czares dividem espaço com as estrelas vermelhas do Kremlin e com o mausoléu de Lênin, símbolos da herança muito diversa da Rússia atual.

A memória nacional, dura e trágica, segue sendo uma questão debatida na Rússia, onde as autoridades flutuam entre os valores conservadores e tradicionais herdados do Império Czarista e das mudanças sociais trazidas pela defunta União Soviética.

Fruto dessa dupla vertente histórica, o presidente Vladimir Putin comanda a Rússia há mais de 18 anos e seguirá no poder, com um mandato atual que dura até 2024.

Embargo alimentar

Na Rússia é impossível encontrar nos supermercados um patê francês ou um queijo cheddar britânico: desde agosto de 2014, o país instaurou um embargo sobre a maioria dos produtos alimentícios europeus, como resposta às sanções ocidentais das quais a Rússia é vítima.

Após sofrer com alguns problemas de fornecimento, as grandes distribuidoras russas buscaram novos parceiros e, principalmente, o país investiu em sua própria produção: na mesa dos restaurantes moscovitas, as ostras de Kamchatka (península no extremo oriente do país) substituíram as ostras francesas. A qualidade dos alimentos sofreu em alguns casos e vários escândalos sanitários surgiram.

Hóquei é o esporte rei

O hóquei no gelo é o esporte rei na Rússia, onde os invernos, longos e congelantes, transformam os lagos em ringues de patinação. As crianças crescem sonhando em se tornar estrelas desse esporte, como Ilya Kovalchuk e Pavel Datsyuk, ou o lendário atacante soviético Valeri Kharlamov. Fã de hóquei, Vladimir Putin costuma participar todo ano de uma partida beneficente ao lado de estrelas da modalidade.

Nos Jogos Olímpicos de inverno de PyeongChang-2018, a seleção russa de hóquei no gelo conquistou o ouro pela primeira vez desde 1992, embora tenha competido sob bandeira olímpica devido à suspensão que pesa sobre o país por envolvimento em esquemas de doping.

Internet controlada

Os turistas estrangeiros poderão se surpreender com o fato de não terem acesso na Rússia à plataforma de vídeos Dailymotion ou à rede social LinkedIn. Para os russos, os bloqueios arbitrários de sites a pedido da justiça se tornaram casos corriqueiros.

As autoridades reforçaram nos últimos anos a vigilância sobre a internet russa, apelando contra o extremismo e o terrorismo. A oposição, porém, garante que a estratégia é um meio de dominar o debate político e deixar sem voz os críticos.

A última grande vítima desta política na internet é o programa de mensagens Telegram, após a empresa se recusar a fornecer aos serviços de segurança mensagens enviadas pelos usuários./ AFP

 

MAIS SOBRE:

FutebolRússiaCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]
Comentários