Clube italiano cria polêmica ao trocar gandulas por menores de idade de shorts

Meninas, que têm entre 15 e 16 anos, são jogadoras de vôlei do Vicenza Virtus

Relacionadas

Um clube italiano da terceira divisão do país, o Vicenza Virtus, tem sido alvo de uma polêmica relacionada ao machismo. Nos últimos dias, os torcedores da equipe não viram os habituais gandulas que ajudam a repor as bolas para dentro de campo, mas sim adolescentes vestidas com micro shorts

De acordo com o jornal espanhol As, o responsável pela mudança foi Renzo Rosso, empresário de moda e dono do clube. As meninas, que têm entre 15 e 16 anos, são jogadoras de vôlei da equipe e estão tendo de lidar tanto com os comentários maldosos na web quanto durante as partidas.

Imagens das meninas com dizeres como "Obrigada, presidente" têm sido postadas nas redes sociais. A Associação Nacional de Atletas da Itália repudiou a ação do clube e, inclusive, acionou a mais alta entidade do futebol no país a tomar uma atitude. 

"Toda vez que pensamos que vimos errado, que estamos errados, em vez disso não apenas os eventos são como temíamos, mas ainda pior", afirma a nota divulgada. "Este espetáculo indigno da sexualização de menores é o que vimos no primeiro jogo do clube que tem como presidente o proprietário da marca Diesel, claramente visíveis nos tops das jovens", descrevem antes de pedir para a Federação Italiana de Futebol retirar "imediatamente esta iniciativa indecente".

 

MAIS SOBRE:

Futebolfutebolmachismo
Comentários