Confira 8 fatos que você não sabe sobre a 'presidente-torcedora' da Croácia

Kolinda Grabar-Kitarovic foi quem conquistou a internet e roubou a cena durante do Mundial

A Croácia garantiu sua vaga entre uma das seleções semifinalistas da Copa do Mundo da Rússia. Porém, fora de campo, a seleção também ganhou destaque. Kolinda Grabar-Kitarovic, presidente do país, foi quem conquistou a internet e roubou a cena durante do Mundial.

+ Neymar deseja 'boa sorte' a Mbappé e Rakitic, finalistas da Copa do Mundo

+ Artilheiro da Copa do Mundo deve ser decidido em Bélgica x Inglaterra

+ Ronaldomania: Turim ganha sabor de pizza e sorvete em homenagem a CR7

Pela primeira vez em sua história, a Croácia vai decidir uma Copa do Mundo. A seleção vai medir forças contra a favorita França, domingo, no estádio Luzhniki, em Moscou. Fora de campo, a equipe conta com o apoio da "presidente-torcedora" Kolinda Grabar-Kitarovic.

Kolinda conquistou a internet e roubou a cena durante do Mundial. A mandatária de 50 anos mostrou sua paixão pelo futebol acompanhando todos os jogos da Croácia. Nas redes sociais, Kolinda fez sucesso pelo seu modo de torcer e o fato de não usar dinheiro público para suas viagens na Rússia. 

Confira 8 fatos que você provavelmente ainda não sabe sobre a presidente:

Viagens:

Kolinda faz questão de pagar do próprio bolso suas viagens em voos comerciais na Rússia.

Desconto:

A presidente desconta do seu próprio salário os dias que deixou de trabalhar para assistir aos jogos da Copa do Mundo.

Críticas:

O lado torcedora da presidente acabou gerando críticas. Kolinda é acusada de usar a Copa como trampolim político e por ligações com ultranacionalistas no passado.

Política:

Descrita como populista e conservadora, Kolinda pertence ao União Democrática Croata (HDZ), partido de direita de linha nacionalista e anticomunista, que por vezes flertou com nacionalistas radicais e com a ala mais fascista dos extremistas conservadores.

Eleição:

Kolinda foi eleita a primeira presidente mulher do país em 2015, no segundo turno das eleições gerais, ao derrotar o candidato social-democrata e então presidente croata, Ivo Josipovic, com 50,54% dos votos.

Polêmica:

Durante sua campanha, em 2014, Kolinda apareceu ao lado de líderes nacionalistas, e se deixou fotografar com a bandeira do Ustashe, um partido nacionalista de extrema-direita que assumiu o poder do Estado Independente da Croácia em abril de 1941, durante a 2ªa Guerra. O brasão que aparecia na bandeira croata se tornou emblema do partido de inspiração nazista e foi removido depois que os fascistas foram derrotados na Segunda Guerra Mundial.

Homossexualidade:

Kolinda declarou durante sua campanha que daria o seu apoio caso um dos filhos se assumisse como homossexual.

Maconha e aborto:

Católica fervorosa, Kolinda também já afirmou que autorizaria o uso medicinal da maconha e que a decisão de fazer um aborto cabe à mulher.

 

MAIS SOBRE:

FutebolCopa do Mundo Rússia 2018 [futebol]Croácia [Europa]seleção croata masculina de futebolKolinda Grabar-Kitarovic
Comentários