Conmebol pós-Chape: nova regra tira responsabilidade em caso de acidentes

Organização estipulou nova regra no Sul-Americano Sub-20, primeiro campeonato pós-acidente da Chape

Relacionadas

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) não vai se responsabilizar por eventuais acidentes de deslocamento semelhantes ao que ocorreu em novembro com o avião da Chapecoense. A tragédia resultou na morte de 71 jogadores, dirigentes e jornalistas. 

É o que determina uma das regras colocadas no regulamento do Sul-Americano Sub-20, o primeiro campeonato organizado pela Conmebol após o acidente da Chape. O torneio vai ocorrer entre janeiro e fevereiro deste ano, no Equador. 

No item 2 do artigo 24 (disposições gerais), a entidade estipula algo inédito até então. 

“A Federação Equatoriana de Futebol assume a exclusiva responsabilidade a respeito de toda e qualquer classe de dano que ocorra no traslado das associações membros desde o momento de chegada em seu respectivo território, e até o local de destino, assim como no trajeto que utilize para o retorno a seu território, ficando, deste modo, a Conmebol exonerada por completo de toda responsabilidade por fatos que ocorram durante o traslado das delegações das associações membros, tudo isso sem prejuízo do direito de recurso para ajudá-lo contra quem quer que seja o responsável pessoal.”

Até então, o item 2 do artigo 24, em documentos de outros campeonatos, estipulava que qualquer problema que ocorresse e que não estivesse no regulamento deveria tomar as regras da Copa América como base. 

Segundo especialistas, apesar da nova regra, pessoas físicas ou associações ainda poderiam processar a Conmebol em caso de acidentes de deslocamento para o Equador antes, durante ou depois do Sul-Americano Sub-20. Afinal, o torneio só existe porque a entidade o criou, então a responsabilidade segue dela. 

As informações são do blog de Marcel Rizzo, do UOL

MAIS SOBRE:

FutebolConfederação Sul-americana de Futebol
Comentários